Os cientistas da NASA ainda não abriram o contêiner com solo do asteróide Bennu – os parafusos estão emperrados

Há um mês, uma cápsula da NASA pousou na Terra com amostras do asteroide Bennu, para o qual a sonda OSIRIS-REx foi enviada em 2016. As amostras de asteróides foram hermeticamente fechadas para protegê-las do ar terrestre, e o acesso a elas foi organizado em uma caixa estéril. Como a NASA admitiu, eles ainda não conseguem abrir o amostrador principal da cápsula, mas mesmo o material de Bennu caindo acidentalmente na cápsula é suficiente para que a missão seja bem-sucedida.

Antes mesmo de abrir o amostrador, muita substância do astroide foi encontrada sob a tampa protetora da cápsula. Fonte da imagem: NASA

Cientistas da NASA relataram que dentro da cápsula e parcialmente na área da cabeça do mecanismo de amostragem, antes mesmo de o amostrador ser totalmente aberto, foram encontrados 70,3 gramas da substância da superfície do asteroide Bennu. De acordo com os objetivos da missão OSIRIS-REx, seria considerado um sucesso se 60 gramas de material de asteroide fossem entregues à Terra.

Depois de abrir a cápsula, descobriu-se que sua superfície interna estava repleta de poeira preta e pequenos grânulos, que os cientistas até pescaram sob a concha protetora de mylar da cápsula. A superfície do asteróide Bennu revelou-se muito mais solta do que os engenheiros da NASA esperavam.

O amostrador na forma de um manipulador alongado deveria atingir sua superfície e arrancar dela um pouco de poeira e pedras, que teriam sido atraídas para dentro da cápsula pelo gás, mas no final derrubou uma fonte de poeira e Substância Bennu da superfície que quase levou a um acidente – ao travamento do mecanismo de fechamento da cápsula, e sem isso as amostras não teriam sido entregues à Terra.

Cápsula após pouso

Os especialistas deram apressadamente o comando para afastar a sonda do asteroide e isso evitou o travamento do mecanismo. Tudo o que os cientistas extraíram da cápsula hoje é um excedente com o qual nem contavam. O tesouro principal deveria estar escondido no amostrador, mas ao abri-lo, surgiu um problema até agora: 2 dos 35 parafusos de montagem que prendem a tampa do amostrador no lugar ainda não podem ser desparafusados. As ferramentas fornecidas para isso, previamente colocadas em um porta-luvas estéril, não ajudaram no enfrentamento deste trabalho. A NASA está procurando uma oportunidade para desapertar os parafusos restantes, mas por enquanto a cápsula está escondida em um saco selado de Teflon para que a substância do asteróide não entre em contato com a atmosfera de nitrogênio dentro da caixa.

Um estudo preliminar das amostras mostrou que elas são ricas em água e carbono. Isso significa que o espaço no início da formação do Sistema Solar era rico nessas substâncias, essenciais para o surgimento da vida biológica. E quanto mais amostras a sonda da NASA trouxer, mais detalhadamente será estudada a história do nosso sistema.

avalanche

Postagens recentes

Roskomnadzor não conseguiu impedir o crescimento do número de recursos piratas com filmes e música

No primeiro semestre do ano, o número de recursos ilegais com conteúdo de mídia (livros,…

29 minutos atrás

Um gerador eólico será construído na China mais alto que a Torre Eiffel com uma “hélice” de 310 metros

A empresa chinesa MingYang anunciou planos para construir uma turbina eólica offshore de tamanho e…

30 minutos atrás

Uma versão demo temporária do terror folclórico “Dashing One-Eyed” dos criadores de “The Black Book” foi lançada no Steam

Os desenvolvedores do estúdio Perm Morteshka (Black Book) anunciaram o lançamento de uma versão demo…

1 hora atrás

Bitcoin subiu para US$ 35.000 – a criptomoeda dobrou desde o início do ano

O Bitcoin continuou a subir e ultrapassou brevemente a marca de US$ 35.000, após o…

1 hora atrás