Estão aumentando as evidências de que a água líquida está presente na superfície de Marte, agora fria e seca, há muito mais tempo do que os cientistas pensavam. Estudos anteriores deixaram claro que a água estava presente em abundância em Marte há cerca de 3 bilhões de anos. Agora, os dados caíram nas mãos dos cientistas, permitindo-nos afirmar que era possível detectar água na superfície do Planeta Vermelho há 700 milhões de anos.

Fonte da imagem: Administração Espacial Nacional da China (CNSA)

Os pesquisadores chegaram a essa conclusão depois de estudar dados obtidos do rover chinês Zhuzhong, que faz parte do programa Tianwen-1 e está em Marte há cerca de um ano. Estamos falando sobre os dados que foram coletados pelo aparelho chinês durante os primeiros 92 dias ou sóis marcianos na área de pouso na Planície da Utopia.

O estudo envolveu pesquisadores do Centro Nacional de Ciências Espaciais (NSSC) da Academia Chinesa de Ciências (CAS) que analisaram dados do espectrômetro a laser MarSCoDe, espectrômetro infravermelho de ondas curtas e câmera telescópica no rover Zhurong. Esses instrumentos encontraram minerais indicando a presença de uma quantidade significativa de água líquida nesta área há aproximadamente 700 milhões de anos, ou seja, muito mais tarde do que o início do período amazônico na história do planeta.

A descoberta mais importante é que o rover foi capaz de detectar minerais hidratados. Isso indica que a água nesta área estava presente por muito mais tempo do que os cientistas pensavam. No futuro, os pesquisadores esperam estabelecer com a ajuda do rover chinês quão comuns são esses minerais e se eles são frequentemente encontrados na rocha na área onde Zhurong está localizado. O aparelho chinês está na superfície do Planeta Vermelho há mais de 350 dias marcianos, durante os quais conseguiu percorrer cerca de 2 km, explorando simultaneamente os objetos encontrados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.