Montadoras europeias podem enfrentar escassez de matéria-prima para baterias

Os ambiciosos planos das montadoras europeias de mudar para a tração elétrica precisam ser apoiados não apenas pela localização da produção de baterias de tração, mas também pelo fornecimento de matéria-prima para sua produção em quantidades suficientes. De acordo com especialistas, até 2030 a Europa será capaz de fornecer apenas um quarto de sua própria demanda de matérias-primas para a produção de baterias de lítio.

Fonte da imagem: Reuters

As reservas mundiais de lítio são grandes o suficiente, o problema é a disponibilidade de um número suficiente de empresas de mineração. Como regra, leva pelo menos sete anos para desenvolver um campo. O transporte de matérias-primas de fora da Europa pode não ser a melhor escolha para as montadoras locais, pois a cadeia de abastecimento aumentará a pegada de carbono, que as empresas procuram minimizar. O aumento de custos devido ao longo prazo de entrega também não precisa ser baixado, assim como possíveis interrupções na logística.

Algumas das matérias-primas para a produção de baterias de tração podem ser obtidas por meio da reciclagem, mas a Europa, a esse respeito, não pode reivindicar mais do que 10-20% de suas próprias necessidades, de acordo com especialistas entrevistados pela Reuters. Já na Europa, está prevista a construção de cerca de 50 novos empreendimentos para a produção de baterias de tração. Apenas a Volkswagen pretende construir pelo menos seis, a Daimler, em conjunto com os parceiros, espera construir quatro fábricas, a Renault está tentando acompanhá-las. No entanto, mesmo com esse ritmo de construção de fábricas, a Volkswagen até 2030 fornecerá suas próprias necessidades de baterias em apenas dois terços.

Se todos os tipos de dificuldades não impedirem a implementação desses planos, então, em 2030, a Europa será capaz de atender quase completamente às necessidades regionais de baterias de tração. Ela produzirá anualmente baterias com capacidade total de 640 GWh, o que será suficiente para a produção de 13 milhões de veículos elétricos. A demanda global em 2030 será medida em 2.212 GWh de capacidade equivalente, e a oferta chegará a 2.140 GWh, de acordo com analistas da Ultima Media. As autoridades europeias serão obrigadas a subsidiar não só a construção de fábricas e estações de carregamento, mas também a exploração geológica, bem como a reciclagem dos materiais utilizados nas baterias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *