dom. mar 29th, 2020

Avalanche Notícias

Você conectado com o mundo

A Intel manteve sua capacidade de entregar mais de 90% dos produtos dentro do prazo

2 min. de leitura


Nesta semana, o CEO da Intel, Robert Swan (Robert Swan), achou necessário publicar uma nova carta aberta dirigida aos clientes e parceiros da empresa. Nele, ele relatou os esforços que estão sendo feitos para garantir a operação estável da Intel e garantiu que a grande maioria dos produtos seja entregue a tempo.

Fonte da imagem: Intel

Lembre-se de que, em 2020, a Intel planeja aumentar em 25% o número de pastilhas de silício sendo processadas, não apenas para superar o déficit de muitos meses, mas também para criar alguma “margem de manobra” no caso de um forte aumento na demanda. Essas aspirações não estão em conflito com as estatísticas do mercado, segundo as quais a AMD retira a participação da Intel em muitos segmentos. O fato é que a Intel depende principalmente da tecnologia de 14 nm e os cristais dos modernos processadores de marca são bastante grandes. Isso reduz o número de processadores obtidos de uma única pastilha de silício, exacerbando a escassez. Por esse motivo, a empresa é forçada a aumentar o volume de processamento das pastilhas de silício antes da demanda pelos próprios processadores.
Robert Swan explicou que todas as empresas de fabricação e teste de processadores Intel estão operando normalmente; a equipe recebe todo o necessário para manter a segurança aprimorada em uma pandemia. Os executivos da Intel trabalham com as autoridades locais em todos os países onde a empresa opera: EUA, Israel, Irlanda, Malásia, Vietnã e China. Recentemente, uma empresa na Costa Rica retornou ao serviço. Mais de 90% dos produtos Intel são entregues no prazo. Para acelerar a entrega, a Intel coopera com outras empresas se a quarentena impuser restrições à operação da infraestrutura de transporte em uma região específica.
Os produtos Intel são usados ​​em muitas áreas no contexto da disseminação do coronavírus. Esses são sistemas de servidor que permitem trabalhar remotamente em um ambiente de “nuvem” ou receber ensino a distância, e sistemas de inteligência artificial que ajudam a decifrar o genoma do coronavírus e criar uma vacina. Por fim, os robôs de transporte baseados na Intel foram usados ​​por instalações médicas na China para fornecer medicamentos e reduzir a carga de trabalho durante surtos de coronavírus na região.
A Intel criou uma sede operacional para impedir a propagação do coronavírus, que inclui especialistas com muitos anos de experiência no controle de epidemias. A empresa doou US $ 1 milhão ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha para combater a pandemia. Outras opções para ajudar as comunidades locais em todo o mundo estão sendo consideradas.
.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *