A demissão do primeiro-ministro britânico Boris Johnson e de alguns de seus associados criou dificuldades no processo de negociação com a empresa japonesa SoftBank, que as autoridades britânicas estão tentando persuadir a colocar ações da Arm na Bolsa de Londres. Segundo fontes, o lado japonês simplesmente não tem com quem conduzir tais negociações.

Fonte da imagem: braço

Conforme explica a Bloomberg, no governo Johnson, o ministro do investimento Lord Gerry Grimstone, que agora deixou o cargo, foi o responsável por essa direção. As autoridades do Reino Unido estavam interessadas em uma dupla oferta de ações da Arm, nas bolsas de valores de Nova York e Londres, e fontes bem informadas especificam que a corporação japonesa SoftBank não disse adeus completamente a essa ideia, mas a falta de negociadores legítimos dos britânicos lado torna o progresso um pouco difícil. A prioridade para os atuais donos da Arm é listar as ações da empresa em Nova York, pois isso levantará mais recursos dos investidores.

Lembre-se que até 2016, as ações da Arm eram negociadas na Bolsa de Valores de Londres, após o que foram compradas pela corporação japonesa SoftBank por US$ 32 bilhões. Ativos de armas em Nova York. É psicologicamente difícil para as autoridades do Reino Unido “deixar ir” um desenvolvedor de Cambridge para a bolsa de valores americana, portanto, sob Johnson, foi realizado um trabalho ativo para persuadir o SoftBank a fazer o double-float Arm. O chefe da corporação japonesa Masayoshi Son (Masayoshi Son) afirmou anteriormente que até março do próximo ano venderá parte das ações da Arm pertencentes ao SoftBank, mas manterá uma grande participação mesmo após o IPO deste último.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.