O CEO da OpenAI, Sam Altman, está em negociações para atrair investimentos multibilionários para criar uma rede internacional para a produção de chips de IA. O investimento visa superar os principais desafios no desenvolvimento da IA, tais como a falta de processadores de alto desempenho para modelos de IA, incluindo ChatGPT e DALL-E. Este ambicioso projeto envolve a cooperação com os principais fabricantes mundiais de chips, cujos nomes ainda são mantidos em segredo.

Fonte da imagem: Frank_Reppold/Pixabay

A importância de desenvolver e produzir chips poderosos para modelos de IA como ChatGPT ou DALL-E, que podem responder a consultas e criar imagens, está se tornando clara no contexto das tendências atuais da indústria. A NVIDIA, que atingiu US$ 1 trilhão em capitalização de mercado pela primeira vez no ano passado, tem um monopólio virtual no mercado graças às suas populares GPUs H100. Esses processadores são usados ​​no treinamento de modelos avançados de IA, como GPT-4, Gemini, Llama 2.

Com a intensificação da concorrência por chips de IA de alto desempenho, é importante garantir antecipadamente a capacidade de produção necessária. Neste contexto, Altman e a sua equipa estão em conversações com gigantes do investimento como o Grupo SoftBank e o G42, com sede em Abu Dhabi, para financiar este enorme projecto.

Novo processador Microsoft Azure Maia 100 AI (fonte da imagem: Microsoft)

Não apenas a OpenAI, mas também outros grandes players da indústria de TI, incluindo Microsoft, Amazon e Google, estão trabalhando ativamente na criação de seus próprios chips de IA. A Microsoft, investidora da OpenAI, anunciou em novembro passado que estava desenvolvendo seu primeiro chip proprietário de IA para treinar modelos de IA. Depois disso, a Amazon lançou uma versão atualizada de seu chip Trainium. A equipe de design de chips do Google usa DeepMind AI em servidores Google Cloud para projetar seus processadores de IA, incluindo unidades de processamento de tensor (TPUs).

AWS, Azure e Google também são usuários ativos dos processadores NVIDIA H100. O CEO da Meta✴, Mark Zuckerberg, disse ao The Verge esta semana que a Meta✴ planeja possuir mais de 340.000 processadores H100 até o final do ano como parte de sua estratégia Artificial General.Inteligência – AGI).

Superchip NVIDIA GH200 Grace Hopper (fonte da imagem: NVIDIA)

Num contexto de rápido crescimento da capitalização, a NVIDIA não fica à margem da corrida pela inovação e já anunciou os seus novos chips GH200 Grace Hopper, que irão reforçar a sua já posição dominante no mercado. No entanto, AMD, Qualcomm e Intel também não ficam atrás, lançando seus processadores projetados para suportar modelos de IA em laptops, smartphones e outros dispositivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *