No final deste mês, Intel e AMD divulgarão seus relatórios trimestrais, sendo que a primeira já manifestou sua incerteza em manter a dinâmica positiva das vendas de computadores pessoais este ano. De acordo com especialistas do Barclays, a produção de notebooks este ano será reduzida não em 12%, mas em todos 17%. Ambos os principais fornecedores de CPU sofrerão com isso.

Fonte da imagem: Intel

Os especialistas do Barclays baseiam suas previsões em relatórios de uma diminuição na produção de laptops por fabricantes contratados em Taiwan em junho. A segunda metade do ano deve se tornar um teste ainda mais sério para esse segmento de mercado, segundo especialistas. No final de todo o ano, o mercado de PCs pode enfrentar uma queda nos embarques em uma porcentagem de dois dígitos, mesmo representantes da IDC observaram que no segundo trimestre o número de PCs enviados diminuiu 15,3% para 71,3 milhões de unidades.

Até agora, o segmento comercial do mercado de PCs apresentou demanda estável, mas agora os clientes corporativos começaram a adiar a compra de novos computadores devido à incerteza da situação macroeconômica. Nesse contexto, os representantes do Barclays consideram necessário reduzir a previsão para o valor de mercado das ações da AMD de US$ 115 para US$ 85 e, no caso da Intel – de US$ 45 para US$ 40. A compra de ações de ambas as empresas, segundo especialistas, só será possível depois que houver certeza com o tamanho da correção do mercado de PCs.

Para a Intel em particular, de acordo com analistas do Barclays, o “momento da verdade” pode ser 2024, quando a empresa terá os primeiros componentes de 4nm e 3nm produzidos em massa, mas alguns sinais sugerem que sua estreia no mercado está atrasada para um período mais tardio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.