A chinesa ByteDance, proprietária da popular rede social TikTok, está explorando a possibilidade de desenvolver processadores independentes para suas próprias necessidades. Essa decisão se deve ao fato de a empresa não conseguir encontrar fornecedores cujos produtos atendam às suas necessidades de chips.

Fonte da imagem: Jeremy Bezanger/unsplash.com

Supõe-se que os chips ByteDance serão customizados para executar aquelas ou bysp tarefas relacionadas a vários interesses comerciais da empresa – desde trabalhar com plataformas de vídeo até o uso com aplicativos de informação e entretenimento. O projeto de semicondutores ByteDance está ligado a duas tendências populares – o desejo crescente das empresas de tecnologia de criar chips para suas próprias necessidades e a intenção da China de desenvolver novas competências no campo de tecnologias básicas relacionadas à computação.

Ao mesmo tempo, a empresa não pretende produzir chips para venda a terceiros – seus desenvolvimentos são destinados exclusivamente ao uso interno. Outros gigantes de tecnologia chineses também estão mostrando um interesse crescente na tecnologia de semicondutores. Sabe-se que nos últimos anos, a gigante das buscas Baidu, que implementa projetos na área de e-commerce e tecnologias em nuvem Alibaba, vem se dedicando à produção de semicondutores de design próprio, embora ambas não tenham muita experiência na criação tais soluções.

Os chips personalizados permitem que você crie sistemas especializados que melhor atendem aos requisitos especiais de uma determinada empresa e, nisto, eles se comparam favoravelmente com produtos de terceiros prontos para uso. A ByteDance já começou a recrutar funcionários para seu próprio desenvolvimento. O site da empresa contém descrições de inúmeras vagas relacionadas ao desenvolvimento de microchips.

No entanto, as empresas chinesas ainda precisam de fabricantes de semicondutores contratados, muitas vezes estrangeiros. A principal dificuldade é que a guerra tecnológica realmente declarada pelos Estados Unidos à China diz respeito principalmente à produção de chips, equipamentos para cuja produção o Império Celestial tem produção principalmente ocidental, não sendo descartada a interrupção de seu fornecimento. A China vem investindo pesadamente na indústria local de semicondutores há anos, mas o país ainda é fortemente dependente da tecnologia ocidental e estrangeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.