O conselho de administração do Twitter aprovou o acordo com Elon Musk antes mesmo de ele começar a recusá-lo, mas deve receber a aprovação formal dos acionistas apenas em 13 de setembro, quando ocorre uma votação sobre uma questão específica. O conselho de administração da empresa recomendou que os acionistas aprovem o acordo, que o Twitter lutará para concluir no tribunal a partir de outubro deste ano.

Fonte da imagem: Bloomberg, Al Drago

O anúncio pela administração do Twitter de uma data para votação do negócio ficou conhecido esta semana a partir de documentos arquivados pela empresa. Os termos da transação, considerados na votação, não serão diferentes dos propostos por Elon Musk em abril – ele pretendia comprar todas as ações que não possuía ao preço de US$ 54,20 por ação. O Twitter revelou recentemente em um relatório trimestral que a empresa gastou pelo menos US$ 33 milhões para preparar o acordo.

Vale lembrar que Elon Musk está tentando evitar a compra do Twitter, considerando pouco confiáveis ​​as informações fornecidas pela administração da empresa sobre a proporção de contas duvidosas na audiência diária. Representantes da rede social afirmam que a proporção de bots não ultrapassa cinco por cento, mas Elon Musk não apenas está convencido de que o número é muito maior, como também não concorda com a metodologia para determinar esse número usada pelos especialistas do Twitter. A empresa, disse ele, não fornece ao bilionário fundos suficientes para determinar de forma independente a participação dos bots. Além disso, Elon Musk está incomodado com as mudanças de pessoal feitas pelo Twitter após o acordo de abril. Ele acredita que antes do negócio ser feito, a empresa não tinha o direito de levá-los. A sessão do tribunal sobre a disputa entre as partes desta transação deve ser realizada em outubro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.