De acordo com o JPMorgan Chase, o custo da mineração de bitcoin caiu de US$ 24.000 no início de junho para US$ 13.000 até agora. Esse fator pode causar uma queda ainda maior no preço da maior criptomoeda.

Fonte da imagem: Tamim Tarin / pixabay.com

A diminuição no custo de mineração de bitcoin é causada por uma diminuição no consumo de energia: os mineradores estão implantando ativamente equipamentos mais modernos e eficientes. No entanto, os analistas do JPMorgan têm certeza de que isso pode se tornar um obstáculo para um maior crescimento das cotações, já que alguns participantes do mercado percebem esse indicador como o limite inferior da faixa de preço da maior criptomoeda do mundo.

O Bitcoin vem caindo constantemente desde novembro, quando atingiu um recorde de US$ 69.000. Desde o início do ano, o ativo digital perdeu cerca de 60% de preço, o que foi causado por uma série de fatores: o aumento da taxa chave do Federal Reserve dos EUA, o colapso da dupla de criptomoedas Terra/Luna, bem como o fundo de hedge de criptomoedas de falência Three Arrows Capital. Por cerca de um mês, o preço do bitcoin tem flutuado em torno da marca de US$ 20.000.

Uma queda acentuada no preço do bitcoin incentiva investidores e mineradores a vender ativamente seus ativos digitais, o que, por sua vez, provoca seu declínio ainda maior – segundo especialistas do JPMorgan, no terceiro trimestre, a influência desse fator pode aumentar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.