Google é acusado de conspirar com o Facebook no mercado de publicidade

Duas empresas do estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, entraram com uma ação antitruste contra o Google em um tribunal federal da cidade de San Francisco. O gigante da TI foi acusado de conspirar com o Facebook para dar à rede social uma vantagem na colocação de anúncios.

Fonte: Reuters.

O acordo permitiu ao Google manter sua posição dominante no mercado de publicidade online, empurrando outros anunciantes e também limitando a receita dos editores online. Em 2014, foi lançado o sistema Header Bidding, que automatiza a aceitação de lances de leilão na publicidade online. Os editores puderam exibir anúncios em seus sites com o lance mais alto, obtendo lances de uma variedade de fontes, não apenas do Google.

No entanto, em 2018, Google e Facebook firmaram um acordo segundo o qual a rede social limitava este programa em troca de preferências de anúncios na plataforma Google. Esta etapa teve um impacto negativo na posição de outros players do mercado publicitário, incluindo anunciantes e plataformas. “Quando o poder de mercado do Google foi ameaçado, ele frustrou a inovação e abandonou as práticas competitivas justas por meio de um acordo com o Facebook”, disseram os queixosos. Conforme declarado na declaração de reivindicação, o acordo entre o Google e o Facebook “limitou a inovação no Header Bidding a apenas seu benefício, enquanto desencorajava diretamente a concorrência”.

Não é a primeira vez que dois gigantes da Internet são processados ​​por suas ações nesta área. No final do ano passado, dez estados norte-americanos entraram com um processo de concorrência desleal devido ao conluio do Google e do Facebook quanto à publicidade online.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *