Os desenvolvedores dos drivers Intel GPU para Linux lançaram uma atualização que melhora o desempenho do ray tracing em 100x. Antes disso, as placas de vídeo eram 100 vezes mais lentas devido a um bug no código do driver, que levava à alocação incorreta de memória no sistema.

Fonte da imagem: Intel

A Phoronix informou sobre a inclusão da correção no driver Intel Mesa Vulkan de código aberto. Um erro no código do driver foi descoberto por um dos engenheiros de drivers gráficos da Intel para Linux, Lionel Landwerlin, que publicou dados sobre ele no repositório aberto GitHub Mesa. Como o engenheiro explicou, antes de implementar o ray tracing, a Vulkan usava memória externa do sistema (RAM conectada à placa-mãe) em vez da memória GDDR6 local da placa de vídeo. O driver estava faltando uma linha de código que seria responsável por realocar memória para realizar esta tarefa. Assim, o driver Vulkan estava movendo dados de rastreamento de raio de e para uma memória externa do sistema mais lenta, resultando em um desempenho mais lento.

O resultado da adição da linha de código correta, ou seja, o comando ANV_BO_ALLOC_LOCAL_MEM, foi uma melhoria de 100 vezes no desempenho do ray tracing nas placas gráficas Intel ao usar a API Vulkan.

De acordo com a Phoronix, as alterações feitas no código do driver já foram aprovadas e aparecerão na próxima versão do software Mesa 22.2. Este último, por sua vez, será incorporado a um conjunto de outros aprimoramentos de driver Linux que estarão disponíveis para usuários finais até o final de agosto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.