Em uma tentativa de detectar ou confirmar a ausência de atividade geológica na lua Mimas de Saturno, cientistas do Northwestern Research Institute (EUA) descobriram “fortes evidências” de que um oceano pode estar escondido sob a superfície do objeto. Se a hipótese for confirmada, outro lugar potencialmente habitável aparecerá no sistema solar.

Fonte da imagem: wikipedia.org

Os cientistas estão cada vez mais se voltando para o tema dos satélites planetários no sistema solar com sinais de oceanos subterrâneos. Os objetos mais conhecidos são a lua Enceladus de Saturno e a lua Europa de Júpiter, ambas consideradas principais candidatas a programas de busca de vida alienígena. Segundo os cientistas, Enceladus contém até as substâncias necessárias para manter a composição da água do mar que irrompe de seus gêiseres perto do Pólo Sul.

Tanto Enceladus quanto Europa estão mostrando sinais de atividade geológica, sugerindo a provável presença de uma fonte de calor que poderia permitir a existência de água líquida nessas luas. Mas a superfície de Mimas está literalmente repleta de crateras, uma das quais – Herschel – tem um diâmetro de 130 a 140 km, o que faz a lua parecer a Estrela da Morte de Star Wars. Devido à abundância de crateras, os cientistas há muito consideram o satélite geologicamente inativo – apenas um bloco de gelo.

No entanto, ao analisar os dados recebidos da sonda Cassini (Cassini), pequenas flutuações ou “librações” foram encontradas no movimento de Mimas, causadas pela interação gravitacional com Saturno e provavelmente possível na presença de um oceano sob a camada externa de gelo a uma profundidade de 24 a 31 km. Essa descoberta, dizem os cientistas, estimulará novas buscas por objetos potencialmente habitáveis ​​em partes ainda mais distantes e menos estudadas do sistema solar, por exemplo, entre as luas de Urano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.