O governo sul-coreano anunciou um plano para localizar metade do fornecimento de materiais, componentes e equipamentos para a produção de semicondutores até 2030. No momento, as fontes locais respondem por apenas 30% dos suprimentos, escreve a Reuters. Com isso, o país tenta reduzir sua dependência de fornecedores externos e fortalecer a produção local.

Fonte da imagem: Samsung Electronics

Os planos da Coreia do Sul, lar dos principais fabricantes de chips de memória Samsung e SK hynix, visam melhorar a estabilidade das cadeias de suprimentos de recursos e componentes no país. O Ministério da Indústria sul-coreano estima que cerca de 20% dos equipamentos e 50% dos materiais usados ​​no país para a fabricação de chips sejam de fornecedores locais.

«Apesar de algumas conquistas na substituição de importações, o país ainda depende fortemente de produtos de alta tecnologia de fornecedores externos”, observou o ministério sul-coreano, acrescentando que a situação geopolítica instável no mundo continua afetando a oferta.

O ministério também disse que, a partir do próximo ano, o governo e o setor privado destinarão 300 bilhões de wons sul-coreanos (US$ 230 milhões) para investimentos em pequenas empresas de tecnologia, além de fortalecer as indústrias de tecnologia locais. De 2024 a 2030, a Coreia do Sul planeja alocar 950 bilhões de won (mais de US$ 700 milhões) para o desenvolvimento e produção de microcircuitos e chips de energia para a indústria automotiva e até 2029 – 1,25 trilhão (mais de US$ 900 milhões) para o desenvolvimento de chips de inteligência artificial.

Note-se que os investimentos irão também para a criação e ampliação da infraestrutura necessária para a produção de microcircuitos. Além disso, o governo sul-coreano considerará ampliar os incentivos fiscais para investimentos em infraestrutura de grandes empresas de tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.