1 de outubro de 2020

Avalanche Notícias

Você conectado com o mundo

Novos alvos para processos nos EUA foram delineados na liderança da Huawei

3 min read

Agora as autoridades americanas estão tentando extraditar o diretor financeiro da Huawei Technologies, Meng Wanzhou (Meng Wanzhou, na foto abaixo) do Canadá, que é suspeito de violar as leis americanas e enganar o HSBC. Acontece que agora a justiça americana pode ter motivos para processar mais dois executivos de alto escalão da Huawei.

Fonte da imagem: BBC

Estamos falando, como explica a Reuters, sobre os vice-presidentes do conselho de administração da Huawei Technologies: Ken Hu e Guo Ping, que atuam alternadamente como presidente do conselho de administração. No momento, este posto é ocupado por Guo Ping. As autoridades judiciais dos Estados Unidos podem acusá-los de violação das leis de controle de exportação dos Estados Unidos, visto que havia evidências circunstanciais do envolvimento desses representantes da Huawei no fornecimento de equipamentos para o Irã, contornando as sanções dos Estados Unidos após 2007.

Na verdade, as acusações contra a filha do fundador da Huawei, Meng Wanzhou, também se baseiam no caso em torno da Skycom Tech Co Ltd, que foi registrada em Hong Kong até 2017. Por meio do escritório da Skycom no Irã, segundo a promotoria, a Huawei forneceu equipamentos ao país, contornando as sanções americanas. Agora a Reuters está tentando provar que dois atuais executivos da Huawei estiveram envolvidos na fraude Skycom não apenas no Irã, mas também no Brasil.

Alega-se que a Skycom operou neste país de 2002 a 2012, e os representantes acima da Huawei foram os fundadores de várias empresas que possuíam ações desta empresa. Até agora, a linha de defesa da Huawei se baseava em declarações de retirada dos acionistas da Skycom após 2007, mas a “pegada brasileira” mostra que os gerentes chineses controlavam a empresa de várias formas até 2012. Na verdade, os promotores especulam que a Huawei pode ter se envolvido no fornecimento de equipamentos proibidos ao Irã por cinco anos a mais do que se pensava.

Uma análise de documentos encontrados nos arquivos de agências especializadas de Hong Kong revelou que em 2005 Guo e Hu se tornaram diretores da Hua Ying, que era associada à Huawei. Em fevereiro de 2007, Hua Ying adquiriu todas as ações da Skycom, e nove meses depois elas foram transferidas para a offshore Canicula Holdings Ltd, registrada nas Ilhas Maurício.

Já foram apresentados documentos ao tribunal canadiano nos quais as autoridades americanas tentam provar que a Huawei não perdeu o controlo da Skycom até ao último momento, e que a Canicula comprou acções desta empresa com o dinheiro do gigante chinês. Outra empresa (Huawei Tech Investment) ajudou a implementar este esquema, que em conjunto com a Skycom controlava o escritório de representação brasileiro da Huawei. É difícil afirmar nesta fase se estas acusações servirão de pretexto para reforçar as sanções dos EUA contra a Huawei Technologies, mas as pessoas mencionadas na investigação certamente não poderão evitar o processo por parte das autoridades competentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *