A escassez de chips se espalhará do segmento automotivo para smartphones. Também não haverá baterias suficientes para todos.

As distorções no fornecimento de diversos componentes não se limitarão à situação do mercado automotivo. Assim que voltar ao normal, o mercado de smartphones será atingido e os veículos elétricos não terão baterias de tração suficientes nos próximos anos, já que a demanda ultrapassará significativamente a capacidade de produção.

Fonte da imagem: Tecnologia de energia SVolt

Os participantes do mercado de semicondutores pesquisados ​​pela Reuters estão convencidos disso. De acordo com especialistas do ING, as empresas taiwanesas ajudarão o mercado automotivo a lidar com a escassez de chips aumentando a carga em suas fábricas chinesas, já que Taiwan sofreu não apenas com a seca e quedas de energia nos últimos meses, mas também com a disseminação da infecção por coronavírus.

Segundo os especialistas, no contexto dessa migração de produção, a China conseguiu aumentar seu produto interno bruto em 5%. Espera-se que os esforços dos fabricantes taiwaneses para eliminar a escassez no segmento automotivo conduzam à escassez de componentes no segmento de smartphones, com alguns fabricantes até mesmo atrasando o lançamento de novos modelos. O setor precisará de pelo menos seis meses para eliminar as distorções no fornecimento de chips a determinados segmentos de mercado.

Agora, a entrega de certos tipos de componentes tem que esperar até 32 semanas a partir da data do pedido; para alguns itens, os prazos de entrega atingiram valores recordes. Por outro lado, conforme observado pelos analistas da VLSI Research, isso não impedirá que a indústria de semicondutores aumente sua receita em 25% no final do ano em curso, o que será um aumento recorde desde 2010.

Os fabricantes chineses de baterias de tração também compartilham suas preocupações com a Bloomberg. Stellantis NV celebrou recentemente um contrato de fornecimento de bateria com a SVolt Energy Technology. Segundo representantes da primeira empresa, assim que a indústria automotiva conseguir acabar com a escassez de componentes semicondutores, terá início um período de escassez de baterias de tração para veículos elétricos. Leva anos para construir empresas para sua produção, e a demanda por transporte elétrico crescerá em um ritmo superando.

A demanda por matéria-prima para a produção de baterias de lítio seguirá em patamar elevado até o segundo semestre do ano que vem, por isso as montadoras terão que repassar o alto patamar de preços aos compradores. Os materiais que contêm lítio, de acordo com algumas previsões, permanecerão escassos nos próximos dois a três anos. Neste contexto, SVolt está considerando adquirir depósitos para a extração de compostos de lítio. Até 2025, a empresa terá de aumentar em 200 vezes a produção de baterias de lítio. As instalações de produção da SVolt estarão localizadas não apenas na China, mas também na Alemanha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *