A AMD foi vítima de um ataque cibernético. O relativamente jovem grupo de hackers RansomHouse alegou ter “mais de 450 GB de informações” roubados da AMD. Isso é relatado por especialistas da Restore Privacy.

Fonte da imagem: AMD

O próprio grupo RansomHouse afirma que não usa ransomware e não realiza hacks. Eles supostamente atuam “apenas como intermediários entre atacantes e vítimas”, negociam em nome do primeiro e do segundo e concordam com um possível resgate por informações roubadas. De acordo com o portal Tom’s Hardware, ele entrou em contato com a AMD, mas eles ainda não responderam a um pedido de comentário sobre o incidente.

De acordo com o Restore Privacy, o RansomHouse divulgou informações sobre os dados roubados da AMD em apoio às suas alegações de que a gigante da tecnologia foi hackeada. Alegadamente, ele contém vários arquivos de rede, informações do sistema e senhas usadas pelos funcionários da AMD. No entanto, os detalhes do ataque são atualmente desconhecidos. Por exemplo, não está claro se a própria AMD ou um de seus contratados foi atacado diretamente.

Fonte da imagem: restaurar privacidade

Os hackers afirmam que foi muito fácil hackear a AMD, porque seus funcionários costumam usar senhas muito simples. Não há detalhes oficiais sobre o método de hacking e a hora do ataque, mas um representante da equipe de intrusos afirma que uma tentativa de romper o sistema de segurança foi feita em 5 de janeiro deste ano. Sabe-se que a AMD não pagou resgate pelas informações roubadas.

Fonte da imagem: Ransomhouse

O grupo RansomHouse foi formado em dezembro de 2021. Ela se tornou ativa em maio de 2022. De acordo com seus representantes, a Saskatchewan Liquor and Gaming Authority (SLGA) foi a primeira vítima com quem trabalharam, a segunda foi o grande dono de supermercado sul-africano ShopRite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.