O Google descobriu um software usado para espionar usuários de smartphones Android e iOS na Itália e no Cazaquistão. De acordo com o relatório, a empresa italiana RCS Lab, que coopera com as agências de aplicação da lei, é responsável pela distribuição de software malicioso.

Fonte da imagem: Nathan Dumlao/unsplash.com

Recentemente, reguladores europeus e americanos vêm discutindo a possibilidade de introduzir novas regras para regular a venda e importação de spyware. Segundo o Google, esses “fornecedores” garantem a distribuição de ferramentas de hacking perigosas e “armam” governos que não poderiam desenvolver os programas correspondentes por conta própria. Segundo a Reuters, as autoridades da Itália e do Cazaquistão ainda não responderam aos pedidos jornalísticos. A Apple disse que a empresa bloqueou todas as contas e certificados conhecidos associados a esta campanha de hackers. A própria RCS Lab afirma que seus produtos e serviços estão em conformidade com a legislação europeia e auxiliam os órgãos de aplicação da lei na investigação de crimes, e o pessoal da empresa não está envolvido em quaisquer medidas tomadas pelos clientes,

O Google disse que a gigante da tecnologia tomou medidas para proteger os usuários do Android e os alertou sobre o uso de spyware contra eles. Enquanto isso, a indústria global de spyware governamental continua a crescer, com mais empresas desenvolvendo ferramentas especiais para as autoridades. Ativistas de direitos humanos os acusam de tolerar a violação dos direitos humanos e dos direitos civis.

O escândalo da NSO israelense, que criou o spyware Pegasus usado por vários governos e agências ao redor do mundo para espionar jornalistas, ativistas e dissidentes, chamou muita atenção para o setor relacionado. Embora os desenvolvimentos do RCS Lab sejam provavelmente inferiores ao Pegasus em vários aspectos, o software correspondente ainda é capaz de interceptar pelo menos mensagens e senhas. Em seu site, a RCS Lab se descreve como desenvolvedora de tecnologias e serviços para “interceptação legal” de comunicações de voz e coleta de dados. Segundo a empresa, só na Europa, 10.000 alvos são “interceptados” diariamente.

O Google descobriu que o RCS Lab colaborou anteriormente com a duvidosa e agora extinta Hacking Team, que também criou spyware para governos estrangeiros invadirem smartphones e computadores. Este último faliu depois de ser vítima de hackers em 2015, o que levou à divulgação de muitos documentos confidenciais.

De acordo com o Google, em alguns casos, o spyware RCS funcionou com a assistência de provedores locais de serviços de Internet, o que indica claramente o envolvimento de estruturas apoiadas por autoridades locais na vigilância.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.