O CEO da Huawei, Richard Yu, compartilhou sua opinião sobre como seria o estado do mercado de comunicações móveis em 2022 se os EUA não tivessem imposto sanções à sua empresa. De acordo com o Sr. Yu, “se não fosse pela intervenção e supressão dos EUA (Huawei), a Huawei e a Apple poderiam ter se tornado as maiores fabricantes de telefones celulares do mundo”.

O CEO da Huawei falou da sul-coreana Samsung sem muita reverência, unindo-a a todas as outras concorrentes. “Outros são pequenos fabricantes, incluindo uma empresa coreana, que pode ser vendida principalmente nos mercados norte-americano e sul-coreano”, disse Richard Yu. “Empresa coreana” aparentemente se referia à Samsung.

Como a PhoneArena observou, chamar a Samsung de “pequena fabricante” é definitivamente um equívoco, pois a Huawei levou anos para alcançar a empresa sul-coreana. E justamente no momento em que a Huawei conseguiu ultrapassar a Samsung, o desenvolvimento da empresa chinesa no mercado de smartphones parou devido a sanções dos Estados Unidos.

Em abril de 2020, a fabricante chinesa ultrapassou brevemente a Samsung. Graças às fortes vendas na China continental, a Huawei ultrapassou a Samsung em termos de quota de mercado. De acordo com a Counterpoint Research, ocupava então 19% do mercado global de telefonia móvel, enquanto a Samsung tinha uma participação de mercado de 17%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.