«A VimpelCom (marca Beeline) começou a oferecer aos assinantes em um aplicativo móvel para assinar um consentimento para a transferência de seus dados pessoais para as estruturas do Grupo Alfa: Alfa Bank, Alfa Insurance e alguns membros do Grupo X5 (incorpora varejistas Perekrestok, Pyaterochka , Karusel) , prometendo descontos de parceiros em troca, informou o Kommersant. Segundo especialistas, a operadora iniciou os preparativos para a adoção pela Duma do Estado de novas regras para o processamento de dados pessoais, segundo as quais é necessário o consentimento do assinante para cada caso de processamento.

Fonte da imagem: Pixabay

O acordo proposto estabelece que o assinante consente o processamento pelo operador e seus parceiros de dados de passaporte, endereço de e-mail, número de telefone, TIN, informações sobre o equipamento e sua localização ao receber serviços de comunicação, informações sobre seu pagamento, bem como identificadores : IMEI, endereços IP, endereços MAC e ID do cookie. Conforme referido no documento, o tratamento dos dados é realizado com o objetivo de “melhorar a experiência do cliente, a qualidade do serviço, a prestação do serviço, bem como as ofertas personalizadas do operador e parceiros”, nomeadamente através de chamadas e envio de mensagens SMS. “É importante entender que o cliente sempre pode se recusar a dar seu consentimento para o uso de dados”, disse o Alfa Bank ao Kommersant.

Observe que as operadoras de telecomunicações, em regra, não fazem tais ofertas aos assinantes ou indicam essa condição no contrato de prestação de serviços de comunicação.

O especialista em segurança cibernética Alexei Lukatsky sugeriu que a VimpelCom decidisse obter antecipadamente os consentimentos atualizados dos clientes em conexão com a possível adoção pela Duma de emendas à lei sobre dados pessoais. Embora seja possível que isso tenha sido feito em resposta a reclamações de assinantes.

Como observou o professor da Moscow Digital School, Oleg Blinov, até agora, a maioria dos participantes na circulação de dados incluía permissão para transferir dados a terceiros nos termos de uso de serviços ou política de privacidade, e era impossível para o consumidor recusar tal acordo .

A Tele2 informou que os dados dos clientes não são transferidos para terceiros. Todas as informações sobre os clientes permanecem do lado da empresa, e as conclusões generalizadas e os resultados da análise são preparados para o cliente. A MTS informou que o operador recebe do cliente o consentimento para o tratamento dos dados pessoais na celebração do contrato, tendo o direito de o retirar a qualquer momento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.