Os padrões econômicos dizem que uma moeda nacional forte não é tão benéfica para os exportadores. Nessa situação, a IBM não pode estar feliz com o fortalecimento do dólar americano em relação a várias moedas mundiais, pois até o final do ano essa tendência reduzirá a receita da corporação em US$ 3,5 bilhões, como explicaram representantes da empresa em um evento trimestral. No trimestre passado, a receita da IBM foi superior às expectativas dos analistas.

Fonte da imagem: IBM

Em uma comparação anual, a receita da empresa cresceria 16% para US$ 15,5 bilhões em câmbio fixo, mas na prática o aumento foi limitado a 9%. Isso ainda está acima das expectativas do mercado, já que os analistas esperavam que a IBM atingisse US$ 15,2 bilhões em receita. Um dólar forte no segundo trimestre forçou a IBM a dizer adeus a US$ 900 milhões em receita, e até o final do ano o efeito negativo chegará a US$ 3,5 bilhão.

A receita no terceiro trimestre, de acordo com a administração da IBM, crescerá de 5 a 6% em termos de taxa de câmbio fixa, para US$ 10 bilhões. Nos próximos três anos, a IBM ainda espera gerar US$ 35 bilhões em fluxo de caixa livre, sem contar a crescente crise econômica tão profunda quanto os eventos de 2008-2009.

Além disso, o negócio de consultoria da IBM mostra uma forte demanda pelos serviços da empresa mesmo na Europa Oriental, que está geograficamente próxima do conflito regional. No último trimestre, os serviços de consultoria aumentaram a receita da IBM em 10%, ou 18% com base na taxa de câmbio fixa. A receita de software cresceu 6% (12%), enquanto o negócio de infraestrutura da IBM cresceu 19% (25%). A receita de nuvem híbrida da empresa cresceu 16% ou 19% a uma taxa fixa nos últimos 12 meses. Em geral, a previsão, positiva para as atuais condições de mercado, não contribuiu para o crescimento do preço das ações da IBM, que fecharam o pregão na segunda-feira com uma queda de 4%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.