A Austrália pode obrigar a mídia social a divulgar as identidades de hooligans e detratores online

O primeiro-ministro australiano Scott Morrison (Scott Morrison) apresentou um projeto de lei segundo o qual as redes sociais serão obrigadas a divulgar a identidade de trolls online ou pessoas que publicam informações difamatórias ou difamatórias.

Fonte da imagem: Gerd Altmann / pixabay.com

Segundo Morrison, durante uma entrevista coletiva, as pessoas que acreditam ter sido difamadas na Internet poderão receber ordens judiciais, segundo as quais grandes redes sociais como Twitter e Facebook terão que identificar as pessoas que publicaram o relevante mensagens. Se as administrações dos serviços não o puderem fazer, terão de responder elas próprias por calúnia – pagar uma multa.

De acordo com a lei australiana atual, as empresas de mídia social não são consideradas editoras de conteúdo publicado em suas plataformas. Portanto, se um usuário publicar um comentário difamatório em uma página do Facebook, o ônus das consequências legais recairá sobre o proprietário dessa página. A discussão do projeto de lei no parlamento do país começa na próxima semana – o documento surgiu após a decisão da Suprema Corte, segundo a qual empresas que possuem redes sociais podem ser responsabilizadas por comentários em suas plataformas.

Uma porta-voz da Meta (dona do Facebook) disse que a empresa comentaria depois de examinar mais de perto a iniciativa legislativa. A Comissária Australiana para Segurança Eletrônica, Julie Inman Grant, sugeriu anteriormente que a implementação de tal regulamento seria problemática. Em uma audiência no Senado no ano passado, ela disse: “Acho que seria muito difícil para o Facebook inicialmente ou reidentificar seus 2,7 bilhões de usuários.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *