O chefe do Instagram * Adam Mosseri (Adam Mosseri) disse que as assinaturas pagas estrearam na plataforma. Os próprios autores definem o valor do pagamento de US$ 0,99 a US$ 99,99, e você pode restringir o acesso a postagens no feed, Stories, transmissões ao vivo e chats em grupo – claro, com a participação do próprio autor.

Fonte da imagem: Kirill Averianov / pixabay.com

O perfil do usuário que apoiou financeiramente o blogueiro é marcado com um ícone roxo. E na página do blogueiro que conectou o programa de monetização por assinatura, apareceu uma guia separada Página inicial do assinante (“Casa do assinante”) – nesta seção, está disponível conteúdo destinado apenas a assinantes e fechado para acesso a todos os outros.

Como diz Mosseri, o Instagram* pretende ser “o melhor lugar na internet para os criadores ganharem dinheiro”. Os testes das funções de assinatura paga na plataforma começaram em janeiro passado, quando 10 autores tiveram acesso a elas. Agora o programa está em expansão e, segundo o chefe da empresa, vários outros blogueiros já puderam experimentar uma assinatura paga. Ainda não há informações sobre quais taxas a plataforma cobra por assinaturas, mas em janeiro, o Instagram* planejava retirá-lo gradualmente até 2023.

* Está incluído na lista de associações públicas e organizações religiosas em relação às quais o tribunal tomou uma decisão final para liquidar ou proibir atividades com base na Lei Federal nº 114-FZ de 25 de julho de 2002 “Sobre o combate ao extremismo atividade”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.