28 de setembro de 2020

Avalanche Notícias

Você conectado com o mundo

Mais e mais especialistas prevêem um colapso nas vendas de smartphones Huawei no próximo ano

2 min read

Esta semana, a proibição dos EUA entra em vigor nas remessas da Huawei Technologies de qualquer componente que use tecnologias baseadas nos EUA. Alguns especialistas prevêem que a gigante chinesa deixará o mercado de smartphones, enquanto outros sugerem que a empresa será capaz de vender cerca de 50 milhões de dispositivos móveis no próximo ano.

Fonte da imagem: Nikkei Asian Review

Esse ponto de vista é compartilhado por representantes da GF Securities, conforme notado pelo Nikkei Asian Review. Segundo o especialista Jeff Pu, se os Estados Unidos não amenizarem as sanções contra a Huawei Technologies, no próximo ano as vendas de smartphones das marcas Huawei e Honor cairão para 50 milhões de unidades. Este ano, a empresa ainda pode reivindicar 195 milhões de unidades vendidas e, no ano passado, vendeu até 240 milhões de smartphones.

Os especialistas da Nomura esperam que os principais concorrentes da Huawei sejam capazes de abocanhar a fatia do derrotado gigante chinês em 20-30 milhões de smartphones vendidos anualmente. Samsung, Oppo, Vivo e Xiaomi, assim como Apple, serão beneficiados. A implementação desta oportunidade dependerá em grande parte da situação macroeconômica. Segundo a fonte, Samsung e Xiaomi são as mais agressivas. Eles já aumentaram o número de componentes encomendados de fornecedores, na esperança de fortalecer sua posição no mercado de smartphones.

Para a coreana Samsung, essa vingança é geralmente uma questão de honra, já que no segundo trimestre foi a Huawei quem a tirou do topo do ranking das maiores fabricantes de smartphones. Os fornecedores da Huawei, entre os quais há muitos que desejam obter licenças nos Estados Unidos para continuar a cooperação com uma empresa chinesa, devem se recuperar depois de algum tempo dos problemas associados à perda de tal cliente. A própria Huawei, sem acesso a componentes modernos, não poderá competir com outros fabricantes de smartphones, que não estão limitados por sanções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *