Outro país se juntou à lista de países que aprovaram o acordo da Microsoft para adquirir a Activision Blizzard por US$ 68,7 bilhões. A Procuradoria Nacional do Chile (FNE) não viu ameaça no sindicato.

Fonte da imagem: Steam (Baga)

Segundo o regulador chileno em seu site oficial, a potencial fusão entre a Microsoft e a Activision Blizzard não esconde o perigo de uma redução significativa da concorrência no mercado local.

A investigação da FNE mostrou que não seria lucrativo para a Microsoft (o próprio dono da plataforma falou sobre isso) deixar o PlayStation sem Call of Duty, porque uma parte significativa da receita da franquia está concentrada nesses consoles.

A FNE considera a influência de Call of Duty na América Latina menor do que em outras regiões do mundo (fonte da imagem: Activision)

Mesmo no cenário improvável de tal bloqueio, o número de pessoas que decidirem mudar sua plataforma de jogos de destino em favor da Microsoft será insignificante. A FNE ficou convencida disso por meio de uma pesquisa com consumidores chilenos.

Para concluir a aquisição, a Microsoft deve receber luz verde de reguladores de vários países. Anteriormente, a união foi aprovada na Arábia Saudita, Brasil e Sérvia, enquanto a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos tenta bloquear o acordo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *