A Mastercard lançou um programa piloto pelo qual os varejistas poderão aceitar pagamentos usando tecnologias biométricas, como digitalização de rosto ou impressões digitais. O pagamento por biometria será usado em vez dos cartões bancários tradicionais.

Fonte da imagem: TheDigitalWay / pixabay.com

O projeto piloto foi lançado em cinco pontos de venda da rede de supermercados St Marche em São Paulo, Brasil. No final deste ano, a Mastercard planeja expandir o programa instalando equipamentos semelhantes em lojas de varejo em todo o mundo. A própria pesquisa da empresa mostrou que os consumidores gostam de soluções biométricas. A Juniper Research previu anteriormente que até 2025, 1,4 bilhão de pessoas usarão sistemas de identificação facial ao pagar, acima dos 671 milhões em 2020.

Para se registrar no sistema, você precisa tirar uma foto do seu rosto ou digitalizar sua impressão digital – isso exigirá um smartphone com o aplicativo de serviço instalado ou um terminal de pagamento compatível. Depois de inserir os dados biométricos, um cartão bancário é vinculado ao perfil. Depois que Brasil, Estados Unidos, além de países da Europa, Ásia e Oriente Médio vão aderir ao programa – ao final, a empresa quer expandi-lo indefinidamente, e o pagamento biométrico pode ser integrado aos programas de fidelidade das redes varejistas.

Fonte da imagem: Gerd Altmann / pixabay.com

A iniciativa naturalmente levantou dúvidas das pessoas sobre a privacidade do sistema biométrico e como os dados são coletados. A Mastercard diz que todos os dados são criptografados de forma a evitar vazamentos. Ao se registrar, a imagem de um rosto ou impressão digital é substituída pelo chamado “token” – um conjunto de caracteres vinculado a um cartão bancário. A empresa afirma ter desenvolvido seus próprios padrões para proteger os dados dos usuários, e os parceiros do projeto incluem Fujitsu, NEC, Payface, Aurus, PaybyFace e PopID.

A Mastercard também falou sobre o trabalho em tecnologias do campo do metaverso – os mundos digitais da realidade virtual e aumentada. Em uma coletiva de imprensa em Londres, a empresa exibiu um fone de ouvido de realidade aumentada que avisa o proprietário caso ele abra um recurso fraudulento. O trabalho está em andamento na tecnologia que permitirá que uma pessoa selecione e compre mercadorias em uma loja online usando apenas movimentos oculares. Além disso, a Mastercard está interessada em criar um provador virtual e formas de vincular a biometria aos NFTs. No entanto, todos esses projetos ainda estão longe da realidade – agora a empresa está limitada apenas ao pagamento por face e impressões digitais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.