O Google concordou em pagar US$ 100 milhões aos residentes de Illinois para encerrar uma ação coletiva que acusou a gigante da tecnologia de violar a Lei de Processamento Biométrico do Usuário (BIPA) do estado. O tribunal considerou que a ferramenta de reconhecimento facial automático no aplicativo Google Fotos violou uma lei estadual que proíbe o processamento de dados biométricos dos usuários sem o consentimento deles.

Fonte da imagem: Pixabay

A lei BIPA, que proíbe as empresas de coletar e armazenar qualquer tipo de dados biométricos, incluindo aqueles obtidos de “digitalizações de retina ou íris, impressões digitais, dados de voz ou informações sobre a geometria das mãos e rostos”, sem o consentimento dos usuários, foi passou em 2008. Para processar tais informações, as empresas devem notificar a pessoa por escrito, informando para que finalidades os dados mencionados são coletados e por quanto tempo serão armazenados. A reclamação dos queixosos alega que o Google viola essa lei porque um dos algoritmos do Google Fotos coleta e analisa dados sobre a estrutura dos rostos dos usuários sem o consentimento deles.

Por fim, o Google concordou em pagar uma multa de US$ 100 milhões para encerrar o caso. Os moradores de Illinois que apareceram em uma foto ou vídeo no Google Fotos entre 1º de maio de 2015 e 25 de abril de 2022 têm até 24 de setembro para participar da reclamação e receber uma indenização, cujo valor varia de acordo com o número final de vítimas. Supõe-se que cada usuário do Google Fotos de Illinois poderá receber de US$ 200 a US$ 400. A audiência final para aprovar o acordo será realizada no dia 28 de setembro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.