Nextcloud, um provedor de serviços em nuvem de código aberto, bem como cerca de 30 outras empresas europeias, reclamaram formalmente à Comissão Europeia sobre o comportamento anticompetitivo da Microsoft, que dizem estar impingindo agressivamente seu serviço de nuvem OneDrive, um serviço de conferência no Windows 10 e Usuários do Windows 11. Equipes e outros produtos.

Fonte da imagem: Microsoft

Nextcloud argumenta que, ao pressionar os usuários do Windows a se registrar e compartilhar suas informações pessoais, a Microsoft está limitando as escolhas do consumidor e criando barreiras à concorrência leal. Em particular, a Microsoft aumentou a participação de mercado de seus produtos na UE para 66%, enquanto a participação de provedores locais de serviços semelhantes diminuiu de 26% para 16%. De acordo com a Nextcloud, a Microsoft conseguiu isso não por meio de quaisquer vantagens reais pelas quais seus produtos se destacam, mas por meio da promoção agressiva de seus serviços e do abuso de sua posição dominante no mercado.

Nextcloud diz que a Microsoft criou barreiras intransponíveis à competição, forçando os usuários do Windows a usar produtos de seu ecossistema. Assim, as empresas europeias não podem competir com o gigante da tecnologia de Redmond, já que a chave do sucesso, neste caso, não é um bom produto, mas sim a capacidade de bloquear concorrentes.

O comportamento atual da Microsoft é muito semelhante ao da época em que a empresa monopolizava o mercado de navegadores ao desencorajar a inovação, disse Nextcloud. Este comportamento prejudica todos os participantes do mercado, incluindo pequenas empresas na UE. Nextcloud pede à Comissão Europeia que pare com força este comportamento da Microsoft e renove a competição no mercado de serviços em nuvem. A empresa entrou com uma reclamação semelhante junto aos reguladores alemães e pretende fazer o mesmo na França. Várias organizações sem fins lucrativos de código aberto, incluindo a Document Foundation por trás do LibreOffice e a Free Software Foundation Europe (FSFE), aderiram à reclamação do Nextcloud.

As empresas que apóiam a reclamação da Nextcloud apresentam o mesmo argumento, dizendo que “o software proprietário ameaça a liberdade dos usuários de computador europeus e sua capacidade de manter o controle sobre seus dispositivos e dados”. É difícil dizer ainda se suas ações levarão a alguma mudança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.