O governo chinês apertou as regras para a operação de sites locais. Agora todos os recursos que possuem uma função de comentários devem pré-verificar cada comentário antes de publicá-lo. O regulamento relevante, intitulado “Regulamentos sobre a administração de serviços de comentários na Internet”, foi publicado pelo governo chinês na semana passada.

Fonte da imagem: PixaBay/janeb13

A decisão exige que todos os indivíduos, bem como empresas que possuem sites na China, contratem “de acordo com o tamanho do recurso, uma equipe de moderadores que revisarão e editarão” os comentários antes de serem publicados. Ao mesmo tempo, os moderadores são obrigados a verificar cada comentário antes de seu lançamento. Se a entrada não violar as leis chinesas, ela deve ser aprovada. Se o comentário contiver informações potencialmente proibidas por lei, o site deve denunciá-lo às autoridades.

Além disso, a decisão aborda a questão do anonimato na Rede Chinesa. Todo site que possui uma função de comentário deve coletar informações pessoais dos usuários (como nome real) antes de permitir que postem no site.

Parece que a decisão atual foi tomada no contexto de crescentes críticas ao governo chinês na vastidão da Rede Chinesa sobre a questão dos bloqueios regulares no contexto de novos surtos da pandemia de coronavírus. Esta não é a primeira tentativa da China de controlar sua internet doméstica. No ano passado, a China aprovou uma lei restringindo o direito de jovens chineses jogarem videogames. Agora isso pode ser feito apenas por uma hora por dia e apenas nos fins de semana.

As plataformas sociais ocidentais Facebook*, Instagram*, Reddit e muitas outras são oficialmente banidas e bloqueadas na China. Muitas empresas, em meio ao controle cada vez mais rígido da Internet chinesa, deixaram esse mercado. Além disso, a China proíbe o uso de serviços VPN para contornar o bloqueio de acesso a conteúdo proibido.

* Ele está incluído na lista de associações públicas e organizações religiosas em relação às quais o tribunal tomou uma decisão final para liquidar ou proibir atividades com base na Lei Federal nº 114-FZ de 25 de julho de 2002 “Sobre o combate ao extremismo atividade”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.