A Microsoft se inscreveu para construir uma instalação dedicada ao Circular Center em Quincy, Washington. Após o comissionamento, está planejado reciclar servidores e computadores antigos aqui. As autoridades da cidade concordaram com a empresa, confirmando que o projeto não deve ter um impacto negativo significativo no meio ambiente.

O projeto MWH90 CC envolve a construção de um edifício com uma área de 1905 m2 para a reciclagem de computadores, servidores e componentes usados. Para isso, o campus da empresa será ampliado e finalizado em Quincy, em cujo território já existe um data center em funcionamento.

Fonte da imagem: bear/pixabay.com

Até 2025, a Microsoft planeja reciclar 90% de seu hardware em nuvem e, até 2030, esse número deve chegar a 100%. Ao mesmo tempo, o relatório do ano passado mencionava que a expansão da infraestrutura do data center e a venda do Xbox levaram a um aumento de 23% nas emissões do Escopo 3 – tais emissões não são resultado direto das atividades da empresa, mas afetam indiretamente seus volumes por meio de suas atividades.

O novo Centro Circular será o mais recente de uma série de centros dedicados que começaram a ser construídos em 2020. Servidores em nuvem e outros equipamentos são reciclados lá, e alguns componentes podem ser reutilizados, revendidos ou reaproveitados para outros usos. Por exemplo, peças individuais podem até ser usadas em brinquedos eletrônicos e sistemas de jogos.

Em 2020, três Centros Circulares em Amsterdã, Dublin e Boydton, EUA, começaram a funcionar. A empresa diz que já conseguiu reutilizar 83% dos componentes críticos, reduzindo as emissões em 145 mil toneladas.

No futuro previsível, está prevista a construção de vários outros centros de propósito semelhante em todo o mundo – dos EUA à UE e Austrália. Outras empresas de nuvem, incluindo Google, Oracle e AWS, estão implementando projetos semelhantes, com alguns componentes usados ​​na infraestrutura das próprias empresas, e alguns vendidos no mercado secundário. Assim, apenas o Google e somente em 2020 vendeu 8,2 milhões de componentes já usados.

Anteriormente, foi relatado que a Microsoft tem uma abordagem bastante incomum para proteger a natureza. Em janeiro, surgiram informações de que a empresa pretende cortar mais de 2.500 árvores no Texas para construir um data center. Como compensação, a empresa prometeu plantar mais de 800 novas e pagar cerca de US$ 1,5 milhão ao fundo de proteção de árvores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.