A Suprema Corte dos EUA negou a última tentativa da Oracle de contestar uma decisão anterior de pagar à HPE US$ 3 bilhões em compensação por se recusar a oferecer suporte a seus produtos de software da plataforma Itanium. A ação foi movida em 2011 pela HP, que ainda não havia se dividido em duas empresas independentes, e o valor das ações foi finalmente aprovado pelo tribunal em 2016.

O conflito entre as empresas se acirrou depois que a Oracle anunciou em 2011 que não pretende mais dar suporte aos servidores Itanium produzidos pela HP, devido ao fato de que o ciclo de vida dessa plataforma está chegando ao fim. Em primeiro lugar, tratava-se do DBMS, um dos principais produtos da Oracle. Em 2010, as empresas assinaram um acordo bilateral sob o qual se comprometeram a apoiar clientes conjuntos. Da HP, falou-se sobre o suporte de produtos de software Oracle nas plataformas de hardware da empresa, e a Oracle prometeu continuar a oferecer software para hardware HP.

Foto: Intel

A interpretação deste acordo por ambas as partes tornou-se um obstáculo. A Oracle alegou que a HP tornou injusto o suporte de longo prazo para o Itanium, embora soubesse na época que a Intel não estava mais interessada nesses processadores. No entanto, a HP processou a Oracle e acabou vencendo. A Oracle entrou com uma contra-ação, mas perdeu o processo e todos esses anos tentou obter uma revisão do valor da indenização, tentando reduzir o valor de R$ 3,14 bilhões indicado pela Justiça.

Fonte: Wikipédia

A atual decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos é final e não mais passível de recurso, de modo que a Oracle será obrigada a pagar uma das maiores indenizações da história de tal processo. Em 2011, muitos sentiram que a verdadeira razão para deixar a Itanium foi o desejo da Oracle de promover sua própria plataforma de hardware e software baseada em SPARC, que herdou da Sun Microsystems adquirida. Embora mesmo assim houvesse rumores sobre o término do trabalho nessa arquitetura.

Como sabemos agora, ambas as plataformas terminaram sua jornada quase simultaneamente. Em 2019, a Intel anunciou que deixaria de enviar a última geração de processadores Itanium 9700 (Kittson), que apareceu em 2017. Ao mesmo tempo, a última grande atualização dos processadores SPARC foi apresentada pela Fujitsu e Oracle, ambas prometendo suportar software até 2034, e ambas acabaram por se voltar para soluções Arm, embora em áreas ligeiramente diferentes. A HPE prometeu oferecer suporte aos sistemas Itanium até 2025.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.