A empresa de energia francesa Engie SA será o primeiro cliente de um novo serviço de nuvem do Google que usa algoritmos de IA para prever a força do vento no curto prazo. Isso ajudará a prever o desempenho das turbinas eólicas e melhorar a sustentabilidade dos sistemas de energia. No futuro, o Google planeja oferecer serviços semelhantes a outros segmentos do mercado de energia renovável, de fazendas solares a armazenamento de energia.

A divisão de nuvem do Google está em parceria com a DeepMind para tentar conquistar clientes com serviços de computação para ajudar a gerenciar sistemas de energia e reduzir emissões. Em 2019, o Google fez parceria com uma empresa irmã para desenvolver um mecanismo para prever a força do vento com até 36 horas de antecedência.

Acredita-se que tais sistemas de IA permitirão prever com bastante precisão o volume de fornecimento de energia na rede elétrica, mesmo levando em consideração a relativa imprevisibilidade do comportamento do vento. Por exemplo, os testes do Google mostraram que o volume de geração de energia no caso do uso de IA aumenta em 20%. A Engie será o primeiro terceiro a poder usar o novo serviço do Google. Os testes começarão em turbinas eólicas localizadas na Alemanha. Eles, em particular, alimentam os data centers alemães do próprio Google.

Fonte da imagem: Mestre Wen/pixabay.com

A empresa francesa de energia Engie pretende pelo menos dobrar sua produção de energia renovável até 2030. Assim, no final do ano passado, a empresa firmou um acordo sobre a produção de hidrogênio combustível nos Emirados Árabes Unidos usando geradores solares. Para empresas de energia como a Engie, o Google oferece um mecanismo poderoso para planejar vendas e compras de energia no mercado, além de outros fatores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.