O produtor Final Fantasy XVI Naoki Yoshida (Naoki Yoshida) em entrevista à Famitsu afirmou que o jogo não tem um mundo aberto por uma simples razão – se for feito, levará quinze anos. Ele também não queria dividir o enredo em partes.

Fonte da imagem: Square Enix

Naoki Yoshida explicou que outros elementos são mais importantes para ele em Final Fantasy XVI. E uma tentativa de fazer um jogo no mundo aberto iria interferir neles. “Quando joguei o primeiro Final Fantasy, pensei que era como um filme”, ​​explicou. Encenação, sincronização de diálogos, dramaturgia e som – tudo isso junto criou um sentimento o mais próximo possível do cinema. E, no entanto, era um jogo. O produtor quer dar aos jogadores a mesma sensação em Final Fantasy XVI.

Além disso, é necessário entender o esquema geral do design do jogo, levando em consideração os pontos fortes da própria equipe. Pensando nisso, Yoshida decidiu que o mundo aberto não era adequado para o que ele e a equipe estavam planejando. Ao listar os principais objetivos do projeto, o produtor mencionou a história de um herói que salva o mundo “porque é Final Fantasy”, um deus invocado enlouquecido, e o lançamento do jogo o mais rápido possível. “Não quero lançar este jogo em partes”, acrescentou.

Final Fantasy XVI será lançado no PlayStation 5 no verão de 2023.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.