Enquanto vários países sonham com uma energia sustentável “verde”, a Coreia do Sul aprova planos para o desenvolvimento de usinas nucleares, que em algumas regiões não são consideradas fontes de energia aceitáveis. Ontem, o governo sul-coreano anunciou que a participação da energia nuclear no sistema energético geral até 2030 será de pelo menos 30%.

Fonte da imagem: Lukáš Lehotský/unsplash.com

O governo também anunciou sua intenção de retomar a construção da terceira e quarta unidades de energia da usina nuclear de Shin Hanul. Em abril, foi noticiado que o país pretende estender a vida útil das usinas nucleares já em operação, cuja vida está chegando ao fim.

No final de 2021, havia 24 usinas nucleares operando na Coreia com uma capacidade total de 23,3 GW, o que representava 27,4% de toda a energia gerada aqui. Até 2030, o governo local pretende trazer esse número para 28,9 GW no cenário ideal. A primeira e a segunda unidades de energia da estação Shin Khanul devem ser concluídas no segundo semestre deste ano. A quinta e sexta unidades de energia da estação Kori devem ser concluídas no primeiro semestre de 2025. O governo promete que os projetos serão implementados sem problemas.

O governo também anunciou planos para restaurar a indústria nuclear. De acordo com o novo plano, os recursos serão aplicados não apenas na construção de usinas nucleares locais, mas também de usinas nucleares no exterior. Em particular, estamos falando de pesquisas na área de criação de pequenos reatores modulares e comercialização de tecnologias para mercados externos.

Mais cedo, o ex-presidente da Coreia do Sul disse que as usinas nucleares continuarão sendo uma das principais fontes de energia do país nos próximos 60 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.