sáb. ago 15th, 2020

Avalanche Notícias

Você conectado com o mundo

Congresso dos EUA acredita que Amazon, Google, Facebook e Apple estão prejudicando o mercado e devem ser combatidos

4 min read

Na quarta-feira, os legisladores dos EUA convocaram os executivos da Big Tech, os quatro participantes mais poderosos do setor de tecnologia: Amazon, Apple, Facebook e Google. Embora cada empresa esteja sob escrutínio antitruste por diferentes razões, o comitê usou audiências nesta semana para apontar semelhanças entre as quatro, justificando a necessidade de futuras reformas regulatórias.

Desde junho do ano passado, os legisladores têm se envolvido em extensas investigações antitruste no setor de tecnologia. Durante esse período, centenas de horas de testemunho foram ouvidas e 1,3 milhão de documentos foram examinados: correspondência de funcionários, testemunhos de parceiros, reclamações de concorrentes e assim por diante. O estudo revela como as empresas conhecidas do setor cresceram muito e agora estão usando suas posições de monopólio para desencorajar a concorrência.

Os congressistas fizeram perguntas claras e muito desconfortáveis ​​ao CEO Mark Zuckerberg, do Facebook, Jeff Bezos, da Amazon, Tim Cook, da Apple, e Sundar Pichai, do Google. da pressão dos legalistas.

Em suas considerações iniciais, o presidente do subcomitê de defesa da concorrência do Comitê da Câmara, David Cicilline, disse: “Enquanto as quatro empresas diferem de maneiras importantes e significativas, vimos padrões comuns e problemas de concorrência ao longo de nossa longa investigação”. É sobre como cada empresa controla a distribuição, suprime os concorrentes e abusa de seu controle sobre a tecnologia para alavancar seu poder.

Primeiro, o comitê investigou as práticas dos gigantes da tecnologia na disseminação de informações e produtos. A Apple e a Amazon têm um tremendo poder sobre quem pode hospedar aplicativos e vender produtos. O congressista Val Butler Demings perguntou ao CEO da Apple, Tim Cook, sobre as regras da loja de aplicativos da empresa, concentrando-se na decisão da Apple de remover aplicativos de controle parental de terceiros que usam a tecnologia de gerenciamento de dispositivo móvel (MDM). A Apple está se oferecendo para usar seu próprio software de controle parental. Bem, em geral, a Apple cobra uma comissão notória de todos os desenvolvedores de aplicativos por seus smartphones e tablets, enquanto nenhuma alternativa é fornecida: o software não pode ser instalado legalmente ignorando a App Store.

O Google foi atacado por David Sicillin por ficar de olho nos concorrentes em buscas. Ele citou e-mails recebidos durante uma investigação entre funcionários do Google preocupados com a forma como as empresas rivais estão se tornando mais dominantes. Em particular, o Google supostamente ameaçou o Yelp de excluir avaliações dos resultados de pesquisa, se elas não estiverem incorporadas em seus próprios produtos. O Google também foi acusado de criar um mecanismo de busca censurado para a China, embora muitos funcionários tenham sido contra. Ao mesmo tempo, por causa dos protestos da equipe, o gigante das buscas se recusou a trabalhar com o Pentágono. Os congressistas também lembraram que, ao adquirir o serviço de publicidade da DoubleClick em 2007, a empresa prometeu não combinar seus dados com os seus, mas não aderiu a isso. E, em geral, o Google usa ativamente os dados pessoais das pessoas para seus próprios fins.

As outras três empresas também estão usando métodos de rastreamento de concorrentes. Por exemplo, o Facebook supostamente monitorou outras empresas de tecnologia em crescimento na tentativa de copiá-las ou eventualmente absorvê-las, como foi o caso do Instagram. Além disso, foi declarado que os fundadores do Instagram foram forçados a vender sua ideia, temendo a destruição do negócio pelo Facebook, que estava ativamente copiando funções.

Ao conquistar o domínio em seus respectivos mercados, as empresas dificultam a entrada de concorrentes e seus produtos. A Amazon se tornou um exemplo importante desse comportamento do comitê. Lucy McBath apontou a capacidade da Amazon de impedir sistematicamente os vendedores de vender produtos em determinadas categorias (para vender esses mesmos produtos), citando uma entrevista com um vendedor que acreditava que ela não tinha permissão para vender livros em determinados gêneros. “Não acho que isso esteja acontecendo sistematicamente”, respondeu Bezos. “Os vendedores de terceiros têm um desempenho coletivo muito bom na Amazon.” A Amazon também foi capturada em colaboração com fábricas asiáticas que exploram demais as pessoas.

Durante a reunião, foram feitas acusações de materiais de censura, pressão sobre os conservadores e disseminação de desinformação durante as eleições de 2016. A gravação completa da transmissão pode ser visualizada no YouTube:

O comitê planeja divulgar um relatório no final do verão, descrevendo suas descobertas. Como resultado da investigação, propõe-se o desenvolvimento de nova legislação destinada a regular a Big Tech. O Facebook e o Google já estão sob escrutínio antitruste pela polícia. Agências como a Federal Trade Commission e o Departamento de Justiça são os únicos órgãos habilitados a punir as empresas de tecnologia por comportamentos não competitivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *