A Aerospace Corporation, uma empresa de rastreamento de detritos espaciais, disse no Twitter que o tempo previsto para o primeiro estágio do veículo de lançamento Longa Marcha 5B cair na Terra é 31 de julho às 14h07, horário de Moscou, mais/menos 24 horas. A queda do palco do foguete ocorrerá na área habitada por 88% da população mundial. Felizmente, esta zona é representada principalmente pelo oceano, de modo que a ameaça à vida e à saúde da população é mínima.

Lançamento da Longa Marcha 5B. Fonte da imagem: Xinhua

Nos próximos dias, o primeiro estágio do veículo de lançamento Longa Marcha-5B, que já havia lançado o módulo de laboratório Wentian para a estação orbital chinesa, cairá na Terra. Situação semelhante ocorreu há pouco mais de um ano, quando o mesmo foguete lançou em órbita o módulo central da estação espacial. Além disso, essa história se repetirá mais duas vezes: em outubro deste ano, no processo de lançamento do segundo módulo de laboratório em órbita, e no próximo ano, quando o telescópio espacial chinês será lançado em órbita como instrumento destacável da estação orbital .

Os especialistas ainda não podem calcular com precisão a hora e o local da queda do primeiro estágio da Longa Marcha 5B. A dinâmica atmosférica e o perfil de detritos não permitem uma previsão precisa. Mas à medida que esse evento se aproxima, a precisão aumentará muitas vezes.

? 31 de julho de 2022 11:07 UTC ± 24 horas

O peso estimado do degrau ou o que resta dele pode ser de 23 toneladas, e as dimensões podem chegar a 54 m.

«Um objeto de reentrada desse tamanho não queimará na atmosfera da Terra, e a regra geral é que 20-40% da massa de um objeto grande atingirá a superfície, embora isso dependa do design do objeto. A queda ocorrerá entre 41 graus de latitude norte e 41 graus de latitude sul, que inclui Nova York, Madri e Pequim, além de terras no extremo sul do Chile e Wellington na Nova Zelândia.

A China entende o perigo potencial de uma órbita descontrolada de partes de foguetes e satélites. Para evitar isso, por exemplo, o país está testando tecnologias de frenagem na alta atmosfera usando estruturas semelhantes a velas. Chegará a hora, e essa “roleta russa” não precisará mais ser jogada. Pelo menos é o que eu quero acreditar. Caso contrário, até o final da década, prevê-se uma porcentagem notável da probabilidade de um incidente fatal envolvendo detritos espaciais – com probabilidade de até 10%, segundo especialistas canadenses.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.