Empresas japonesas começaram a abandonar os drones chineses DJI por razões de segurança

mjg1otlkmmq3zti2otjhzwi5ndgxyjq4zdy2yzzkztc1mtc1nzyzmzq3njyyzjkwmzeymwvinzdlodk1zdawna-4621633

Em dezembro do ano passado, as autoridades dos EUA introduziram sanções contra um dos maiores produtores de quadcopters – a empresa chinesa DJI. O pretexto foi selecionado tradicional – supostamente esses dispositivos são capazes de enviar dados para o fabricante sem o conhecimento do usuário. Empresas japonesas e agências governamentais também levaram o curso para se recusar a usar a tecnologia DJI.

Fonte da imagem: Reuters

Como Nikkei Asiático Review Notes, o processo de substituição de importação japonesa ainda está com rangido, já que os drones com a funcionalidade necessária ainda não são produzidos no Japão em quantidades suficientes, e seu preço é às vezes dez vezes maior do que o dos análogos chineses. A NTT gigante de telecomunicações conseguiu organizar sua própria produção de drones, mas até agora apenas 150 cópias foram liberadas, e o programa de produção para 2023 ano fiscal não excede 2000 produtos.

As empresas de infraestrutura do Japão estão usando ativamente quadcopters para inspecionar instalações industriais. Por exemplo, o poder elétrico de Kyushu até agora usou drones DJI para examinar linhas de alta tensão acima do solo. Ao longo do caminho, a engenharia japonesa e suíça foi usada, agora terá que aumentar sua participação. Dji Quadcopters parou de usar a guarda costeira do Japão. Representantes da empresa chinesa disseram que aumentou a atenção da segurança da informação, e nenhum dado pode ser transmitido à sua técnica de terceiros sem o conhecimento do usuário. O setor privado da economia japonesa é muito menos sensível a questões políticas, e ao escolher quadcopters para operação, prefere se concentrar em considerações econômicas. Os produtos chineses nesse sentido não são iguais em termos de preço e características.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *