20 de outubro de 2020

Avalanche Notícias

Você conectado com o mundo

O aparecimento de discos rígidos de até 24 GB é esperado em 2022

3 min read

A necessidade cada vez maior de grandes mídias de armazenamento está forçando os fabricantes de discos rígidos a introduzir novas tecnologias de gravação magnética a cada poucos anos. Mas, além disso, existem outros métodos para aumentar a capacidade dos discos rígidos. Um deles é o uso de mais placas magnéticas de registro.

A Toshiba foi o primeiro fabricante a comercializar discos rígidos usando nove pratos graváveis ​​há alguns anos. Porém, de acordo com o recurso StorageNewsletter, nos próximos anos surgirão no mercado discos rígidos em que serão utilizadas 10 ou mais placas magnéticas de gravação. A fonte soube disso com a empresa Hoya, que, entre outras coisas, está envolvida na produção de blanks para placas HDD.

Segundo a fonte, até o final do ano, a Seagate planeja lançar o primeiro HDD utilizando a tecnologia Heat-Assisted Recording (HAMR), que no futuro permitirá a criação de discos rígidos de até 50 TB. O uso da tecnologia HAMR exigirá que a Seagate desenvolva e implemente novos cabeçotes de gravação para discos rígidos, bem como mova para placas de vidro com uma camada magnética especial. A primeira geração de discos rígidos com tecnologia HAMR ainda usará nove pratos de gravação. Mas, como as panquecas de vidro serão mais finas do que as tradicionais de alumínio, isso permitirá a criação de mídias magnéticas de armazenamento com ainda mais placas.

Um estudo recente realizado por analistas da Trendfocus, analista do mercado de armazenamento, sugere que a adaptação da tecnologia HAMR exigirá que os fabricantes de discos rígidos mudem para pratos com menos de 0,5 mm de espessura. Só neste caso será possível produzir drives com 10, 11, 12 e até mais discos para registro de informações. Ao mesmo tempo, os analistas estão confiantes de que os HDDs de 10 pratos chegarão ao mercado muito antes do esperado.

Usar mais pratos como parte dos discos rígidos tradicionais de 3,5 polegadas aumentará sua capacidade, mesmo que a evolução da gravação magnética não seja tão rápida quanto gostaríamos. Por exemplo, hoje dez pratos com tecnologia de gravação magnética perpendicular (PMR) tornarão possível criar HDDs de 20 TB sem as tecnologias HAMR e Tiled Magnetic Recording (SMR).

Não se deve descartar que os fabricantes de discos rígidos possam criar abordagens diferentes para maximizar sua capacidade de armazenamento. Por exemplo, a mesma empresa Hoya, que produz blocos de vidro para pratos de HDD, disse que está trabalhando tanto para o desenvolvimento de discos HAMR quanto para soluções multicamadas. No passado, o fabricante já demonstrou protótipos de discos rígidos com mais de dez pratos, mas agora a empresa está envolvida principalmente na produção de espaços em branco e sua direção de desenvolvimento depende principalmente dos próprios fabricantes de HDD.

É importante notar que a tecnologia de gravação magnética assistida por micro-ondas (MAMR), que também permite a criação de mídia de alto volume, não requer necessariamente a troca por novas placas de vidro. Portanto, ainda não se sabe se os discos MAMR passarão para placas mais finas, bem como designs com mais de nove gravações de “panquecas”.

Os analistas da Trendfocus apontam para o crescimento contínuo da demanda por discos rígidos de alto volume e o aumento da concorrência entre os fabricantes. De acordo com suas previsões, os primeiros HDDs de 24 GB estarão disponíveis para venda em 2022. Se eles usarão 10 placas ou tecnologias HAMR ou MAMR depende principalmente de empresas como Seagate, Toshiba e Western Digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *