O chefe do PlayStation falou sobre o lançamento do PS5 em uma pandemia, concorrentes, a ausência do PS Now na Rússia e outras questões

mwvkzthlmthjytnmndqxztq5mjdiodnmzjk5nmu2n2y5n2ninwm5nmjimgvkzwnimjyxzjq3owu4zjhlymi4yw-1045517

O CEO da Sony Interactive Entertainment, Jim Ryan, deu recentemente uma extensa entrevista ao jornalista Dmitry Medvedenko sobre preços, concorrência com a Microsoft, o futuro da indústria, serviço de assinatura e outras questões. A conversa é dedicada ao lançamento das vendas do PlayStation 5 – aqui estão alguns momentos interessantes disso.

Sony Interactive Entertainment

— Qual é a sensação de hospedar um dos maiores lançamentos de tecnologia de consumo neste ano louco?

— Tenho dois sentimentos principais agora. Em primeiro lugar, estou feliz porque as coisas parecem estar indo bem. E em segundo lugar, posso respirar aliviado: conseguimos lançar o console em um ano tão incomum, estranho e, francamente, bastante difícil. De uma coisa percebi com certeza: não quero mais lançar consoles no meio de pandemias e não aconselho ninguém a fazer isso. Foi difícil. Na Ásia, a produção estava parada e tivemos que fazer a preparação para ela remotamente. Você pode imaginar como seria controlar a produção de equipamentos tão delicados como o PlayStation 5 usando câmeras.

No entanto, o chefe notou que em termos de funcionalidade, o console saiu exatamente como era planejado, porém, em preparação para o lançamento em condições normais, os estoques de PS5s produzidos poderiam ter sido maiores. Lembremos: agora está tudo esgotado e a Sony está fazendo todos os esforços para superar a escassez de suprimentos.

— Qual a importância dos exclusivos para PlayStation no novo ciclo de console?

— Grandes jogos são importantes para o PlayStation 5, e se esses grandes jogos forem lançados exclusivamente em nossa plataforma, pensamos que isso aponta a nosso favor e estamos felizes por poder dar à nossa comunidade de jogadores jogos exclusivos que não podem ser encontrados em nenhum outro lugar. Acredito que o sucesso dos jogos que nossos estúdios lançaram no ciclo de vida do PS4 desempenhou um papel significativo no sucesso do próprio console.

— Há uma percepção de que o modelo de produção de jogos AAA, que leva anos e milhões de dólares para se desenvolver, não parece mais tão atraente financeiramente. O que você pensa sobre isso?

— Acho que provamos com o PS4 que os jogos de última geração estão em ótima forma. Acho que com o desenvolvimento da tecnologia, os sucessos de bilheteria estão cada vez mais confundindo a linha com outras formas de entretenimento, estão se tornando ainda mais realistas – talvez ainda à frente. As tramas serão melhores e a sensação de imersão no jogo será mais forte. Portanto, temos uma visão diferente.

— Você acha correto que os preços dos jogos para consoles estão subindo e alguns editores já estão tentando colocar um preço de 0 por jogo?

— Historicamente, a dinâmica dos preços dos videogames para console é bastante modesta. Por muito tempo, os preços permaneceram relativamente estáveis. E a tendência que estamos vendo entre uma série de editores que desejam transferir os custos de produção significativamente aumentados de jogos para PS5 ou outros consoles de próxima geração sobre os ombros do consumidor não me parece irracional. Se você olhar para o nosso segmento de mercado de entretenimento do ponto de vista da proporção do preço por unidade de tempo (quantos dólares ou rublos por hora de custos de entretenimento), os videogames parecem muito baratos … Mesmo na Rússia, não pegamos apenas o preço americano de um jogo e o convertemos em rublos à taxa – nós planejamos cuidadosamente nossa política de preços.

Ryan notou que 75% dos compradores do PS5 neste ano serão proprietários do PS4, e o resto serão proprietários de novos consoles ou migrarão dos concorrentes para a Sony. Em qualquer caso, o PS4 continuará a ser um sistema central até pelo menos 2022, graças à sua enorme base de 114 milhões de jogadores que continua a crescer. Ao mesmo tempo, jogos que tirarão proveito das vantagens do PS5 e não serão mais capazes de funcionar no PS4 aparecerão em grandes quantidades. Eles serão o rosto da próxima geração do PlayStation.

— Como o PlayStation responderá ao modelo de assinatura do Game Pass da Microsoft?

— Haverá notícias nossas sobre isso, mas não hoje. Temos o PlayStation Now como um serviço de assinatura (permite transmitir jogos em nuvem, bem como instalar alguns de seus projetos PS4 localmente) e está disponível em vários países.

— Por que não está disponível na Rússia?

— Você sabe melhor do que eu o que a Rússia é um país enorme. Esses serviços são muito difíceis de lançar. Como delinear o alcance do lançamento? Lançar apenas em Moscou? Apenas em Moscou e São Petersburgo? É muito difícil tomar a decisão de fornecer serviços para alguma parte da comunidade PlayStation, mas não para alguns. O serviço de streaming em nuvem, como você entende, requer enormes capacidades de servidor a uma distância geográfica relativamente pequena do jogador, então a tarefa é muito difícil do ponto de vista logístico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *