A Valve aconselhou os proprietários de consoles de jogos portáteis Steam Deck a não jogar ao ar livre em temperaturas elevadas. A Europa e o Reino Unido, em particular, foram atingidos por uma onda de calor esta semana, e o uso do dispositivo nessas condições pode levar a consequências desagradáveis.

O fabricante esclareceu que o Steam Deck funciona com mais eficiência em uma temperatura ambiente de 0 a 35 graus Celsius. Se a temperatura ambiente for superior ao máximo especificado, o processador do decodificador aquece mais rapidamente e um mecanismo de proteção é ativado para proteger o chip contra superaquecimento. A temperatura do ar no Reino Unido esta semana estabeleceu um novo recorde histórico, ultrapassando a marca de 40 graus Celsius e nessas condições é melhor não usar o prefixo.

A Valve explica que o processador AMD Aerith quad-core personalizado no Steam Deck foi projetado para operar em temperaturas de até 100 graus Celsius. Assim que esse indicador excede o máximo declarado, o prefixo redefine as frequências de clock do chip, o que afeta negativamente seu desempenho. Na pior das hipóteses, se a temperatura do processador atingir 105 graus Celsius, o decodificador será desligado automaticamente para evitar mais superaquecimento e danos à integridade de seus componentes.

A válvula não é a única a alertar sobre os riscos do uso de eletrônicos em condições inadequadas. Anteriormente, a Nintendo recorreu aos proprietários de consoles Switch com recomendações semelhantes, aconselhando-os a usar o console em um ambiente mais frio. O fabricante japonês também observou que a temperatura ambiente máxima permitida para uso confortável do set-top box é de 35 graus Celsius. A empresa também aconselhou os proprietários do Switch a manter as aberturas do console livres de poeira e deixar pelo menos 10 cm de espaço ao redor deles ao usar o console.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.