Em sete anos, 8,5 milhões de baterias de tração por ano deverão ser produzidas nos Estados Unidos, embora agora seu número não ultrapasse 200 mil. O avanço que a indústria americana terá de fazer nessa direção é comparável em escala à nova revolução industrial. Centenas de milhares de trabalhadores precisarão estar envolvidos na produção de baterias nos Estados Unidos.

Fonte da imagem: Volkswagen

O chefe do escritório de representação americano da Volkswagen, Scott Keogh, explicou à Reuters que o problema da ampliação da produção de baterias de tração nos Estados Unidos precisa ser abordado de forma abrangente, atraindo mão de obra e aumentando a produção de materiais necessários. Segundo ele, o setor industrial norte-americano no início deste século empregava 17 milhões de pessoas no país, e agora seu número não ultrapassa 12,8 milhões de pessoas. A economia do país se transformou em uma economia de serviços e, para fortalecer o papel da produção industrial, deve-se dar atenção suficiente à formação de pessoal.

O presidente dos EUA, Joseph Biden, está pedindo uma participação de 50% dos veículos elétricos e híbridos no mercado automotivo primário dos EUA até 2030, sem estabelecer limites de vida útil para os veículos ICE já vendidos. É impossível imaginar o desenvolvimento da indústria automobilística nacional sem um aumento significativo na produção de baterias de tração. A eletrificação da frota, segundo um porta-voz da Volkswagen, será a maior transformação da indústria norte-americana na história do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.