Acionistas da Tesla na véspera aprovaram a iniciativa de realizar o split dos títulos da empresa na proporção de 3 para 1 – os ativos vêm subindo de preço desde maio e hoje custam US$ 925,9 por ação – a redução no valor nominal atrairá mais varejo investidores.

Fonte da imagem: tesla.com

Pela primeira vez, a empresa anunciou a ideia de realizar um desdobramento de ações no final de março – isso permitirá reduzir seu preço para pouco mais de US$ 300, mas o momento do procedimento ainda não foi anunciado. A empresa passou os últimos 4 meses com benefícios: o índice de tecnologia Nasdaq 100 somou quase 20% em relação à baixa de junho, e os papéis da Tesla mostraram uma dinâmica mais ativa, deixando para trás até o S&P 500 – desde o final de maio eles subiram no preço em quase 50%.

Julho, período em que as ações da montadora subiram 32%, foi o melhor mês da empresa desde outubro. A Tesla deve seu sucesso atual no mercado de ações a um relatório trimestral positivo, bem como a uma nova iniciativa legislativa da administração presidencial dos EUA, que decidiu estimular incentivos fiscais para aumentar o uso de energia limpa. No entanto, fatores negativos continuam relevantes: interrupções na cadeia de suprimentos, tensões nas relações entre os Estados Unidos e a China, bem como o próximo julgamento do chefe da empresa Elon Musk com o Twitter. Além disso, os desdobramentos de ações da Alphabet e da Amazon realizados este ano não deram nenhum impulso aos ativos das duas gigantes.

Para a Tesla, a próxima divisão será a segunda em menos de dois anos – a última vez que aconteceu em agosto de 2020 e proporcionou um aumento de 70% nos ativos da empresa. A diferença com Alphabet e Amazon é que a Tesla tem uma comunidade muito forte de investidores de varejo que compram os títulos da montadora em plataformas especializadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.