Os pitorescos mercados flutuantes do Vietnã receberam vizinhos incomuns – navios robóticos apareceram no Delta do Mekong, pegando garrafas plásticas, embalagens e outros lixos da água para evitar que “vazem” nos oceanos do mundo. Os “interceptores” elétricos juntaram-se aos seus homólogos que já operam na Ásia – da Malásia à Indonésia.

Fonte da imagem: limpeza do oceano

As soluções Interceptor relacionadas são desenvolvidas pela Ocean Cleanup, uma ONG que recebe fundos e apoio de empresas como Coca-Cola e Kia para bandas como o britânico Coldplay. A Kia diz que o plástico resultante será usado na produção. Além disso, a empresa fornece transporte elétrico para organizações sem fins lucrativos.

As naves interceptoras semi-autônomas (interceptor) utilizam energia solar e coletam o lixo da água – há uma esteira em seu interior que o distribui automaticamente em seis tanques especiais, e a eletrônica monitora o enchimento uniforme de cada um. O custo de cada navio é de cerca de US $ 500.000.

De acordo com um porta-voz da Ocean Cleanup, este “último recurso” é uma solução temporária para reduzir a poluição plástica dos oceanos até que uma opção mais eficiente e em larga escala seja encontrada. As ONGs dizem que não podem limpar rios e oceanos indefinidamente.

De acordo com o Break Free From Plastic, um grupo de conservação que conta literalmente o número de rótulos de várias marcas no lixo, a Coca-Cola é a fonte mais ativa de lixo pelo quarto ano consecutivo em 2021. No entanto, “posições fortes” nesse nicho são ocupadas por PepsiCo, Unilever e Nestlé. Ao mesmo tempo, os ambientalistas argumentam que essas empresas costumam usar o chamado. “camuflagem verde”, pagando ativamente por iniciativas ambientais, enquanto continua a poluir o meio ambiente. No mês passado, o grupo nomeou o Vietnã como um dos quatro principais poluidores dos oceanos. Conforme relatado pelo Nikkei Asian Review, o motivo é que os países ricos estão literalmente enviando seus resíduos para a Ásia.

Fonte da imagem: limpeza do oceano

A Coca-Cola já está patrocinando navios para limpar 15 rios e promete embalagens 100% biodegradáveis ​​até 2025. Além disso, a empresa pretende retornar ao modelo testado ao longo do tempo – até 2030, espera fornecer cada quarto bebida em recipientes reutilizáveis ​​sujeitos a devolução.

Um projeto piloto no Vietnã será executado até aproximadamente setembro, e os moradores já estão apresentando propostas para a Ocean Cleanup que poderiam tornar a coleta de resíduos mais eficiente. As ONGs enfatizam que não permitirão que as corporações usem as iniciativas de seu grupo para “camuflagem verde” – cada patrocinador é verificado quanto à prontidão para automudança para salvar o meio ambiente.

Quanto ao Coldplay, tendo pago pela construção de um interceptor, no futuro o grupo pretende promover a ideia de limpar os oceanos de plástico com os meios disponíveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.