Honda continuará a construir veículos de célula de combustível de hidrogênio

Como a maioria das montadoras, a Honda Motor está se preparando para mudar para veículos elétricos e foi anteriormente citada pela administração como 2040 como um marco de falha do mercado global. Diante do desejo das autoridades europeias de abandonar o motor de combustão interna cinco anos antes, a empresa japonesa está pronta para cumprir esses prazos no mercado europeu.

Fonte da imagem: Reuters

Na sexta-feira passada, de acordo com o Nikkei Asian Review, o presidente e CEO da Honda Motor, Toshihiro Mibe, disse: “Se as regras mudarem, não teremos escolha a não ser responder com a ação apropriada.” O momento da transição da Honda para eletricidade pura para o mercado europeu pode ser alterado, se necessário.

A Honda agora vende cerca de 100.000 carros na Europa anualmente, o que representa cerca de 2% de sua produção total. É claro que eletrificar esta parte do sortimento exigirá algum esforço, mas no momento parece previsível e gerenciável. Além da Europa, a partir de 2035, o Canadá também está pronto para abandonar a venda de carros novos com motores de combustão interna.

Segundo estimativas independentes, o desenvolvimento de um novo veículo elétrico custa agora pelo menos US $ 454 milhões, cerca de um terço desse valor será necessário para organizar a produção em massa, sem contar o desenvolvimento e a organização da produção de baterias de tração. A Honda ainda não está pronta para revelar quanto vai gastar na eletrificação de seus veículos. Stellantis, Volkswagen e GM estão, cada uma, dispostas a investir US $ 35 bilhões nessa área nos próximos anos, pelo menos.

Nos Estados Unidos, a Honda é conhecida por contar com a cooperação da GM para trazer veículos elétricos ao mercado – os carros para o mercado local usarão a plataforma Ultium e serão produzidos nos Estados Unidos. Para o mercado japonês, a chave do sucesso no segmento de veículos elétricos serão os modelos compactos que se enquadram na categoria de isenção de tributação, segundo o chefe da Honda Motor. Ele apenas saúda o surgimento de novos concorrentes, mas a empresa não desistirá dos planos de produzir carros com células a combustível a hidrogênio, embora deixará de produzir o modelo Clarity até o final do ano. No futuro, ela terá um sucessor, conforme explica um representante da empresa. A Honda pretende aplicar desenvolvimentos no campo da criação de motores de combustão interna no setor aeroespacial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *