Honda anuncia queda de 60% na produção japonesa devido à escassez de componentes

Honda disse que suas linhas de produção no Japão estão operando em cerca de 40% do plano originalmente aprovado de agosto-setembro. A razão para isso foi uma escassez global de componentes semicondutores e atrasos no fornecimento de peças sobressalentes associados à pandemia.

Fonte: bloomberg.com

De acordo com o comunicado da fabricante japonesa, ainda não foi possível superar completamente os problemas, a influência do déficit será sentida mesmo após o final do mês em curso. Pelas estimativas para o dia 14 de setembro, de acordo com o site oficial da Honda, até o início de outubro a situação vai melhorar um pouco e a empresa poderá operar com 70% da capacidade planejada.

Infelizmente, a Honda não foi a única fabricante japonesa a enfrentar esse problema. A Toyota, sua concorrente direta e maior, revelou planos de fechar fábricas em outubro. A empresa disse que 27 das 28 linhas em suas 14 fábricas no Japão ficarão fechadas por 11 dias.

A Honda continuará trabalhando para mitigar o impacto do déficit, mas as perspectivas ainda são incertas e a empresa terá que avaliar o impacto. O N-Box, Fit e Odyssey serão os mais atingidos com um corte temporário na produção.

Muitas montadoras em todo o mundo são obrigadas a tomar tais medidas. A General Motors anunciou anteriormente o fechamento temporário de suas fábricas na América do Norte, e mais tarde a empresa anunciou planos de revisar seu relacionamento com os fornecedores. A divisão de cargas da Daimler também é pessimista: segundo seu chefe, a escassez de chips só vai aumentar no outono. O problema global também afetou a AvtoVAZ doméstica: a princípio, a montadora se concentrou em modelos com configuração modesta e, depois de algum tempo, foi forçada a suspender totalmente a produção em Togliatti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *