As baterias de lítio à base de fosfato de ferro dispensam o uso de níquel e cobalto, cujo preço subiu acentuadamente, e isso está se tornando um dos fatores que atrai a atenção dos fabricantes de veículos elétricos para elas. A Ford Motor não ficou de fora dessa tendência, pois o chefe da empresa admitiu ter realizado experimentos com baterias LFP.

Fonte da imagem: Ford Motor

O anúncio, explica Electrek, foi feito pelo CEO da Ford, Jim Farley, na conferência de relatórios trimestrais, quando ele foi convidado a compartilhar seus pensamentos sobre baterias de fosfato de ferro. Segundo ele, a Ford vem realizando pesquisas relevantes há algum tempo. A empresa chegou à conclusão de que o uso de baterias LFP na primeira geração de veículos elétricos permitirá que ela se mova com rapidez suficiente em volumes de produção crescentes.

De fato, isso indica a prontidão da Ford, se necessário, para começar a equipar as baterias LFP não apenas com pickups F-150 Lightning, mas também com crossovers Mustang Mach-E. A empresa deve produzir pelo menos 150.000 picapes sozinha no próximo ano, portanto, fontes adicionais de bateria serão necessárias para aumentar significativamente os volumes de produção. Nessa situação, a opção de usar baterias LFP não deve ser descartada, pois permitirá criar versões iniciais de veículos elétricos a um custo menor. O aumento dos preços do níquel já provocou aumentos de preços na gama de modelos da maioria dos grandes fabricantes de veículos elétricos, pelo que a transição de parte da gama para baterias LFP ajudará a manter a atratividade de preço das configurações iniciais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.