Todos os grandes players do segmento de carros esportivos estão condenados a converter novos modelos para tração elétrica, tentando dolorosamente resolver o problema de reduzir a massa das baterias de tração. A Ferrari não é exceção – esta semana o novo chefe da marca Benedetto Vigna (Benedetto Vigna) deve revelar a estratégia da fabricante italiana na transição para a propulsão elétrica.

Fonte da imagem: Ferrari

Aliás, conforme explicou a Reuters, o chefe da Ferrari vai apresentar esta quinta-feira aos investidores um novo plano de negócios para a marca. O CEO Benedetto Vigna assumiu o cargo apenas em setembro passado, mas tem 26 anos de experiência no setor, além de uma sólida formação em física. A Ferrari já tem quatro modelos híbridos em sua linha de produtos e prometeu apresentar seu primeiro carro elétrico até 2025.

A Ferrari está atualmente trabalhando com a Yasa da Mercedes-Benz em componentes de acionamento para veículos híbridos e elétricos. É possível que esta semana se conheça os novos parceiros da Ferrari na implementação de uma estratégia promissora. O novo chefe da empresa já disse que a transição para a tração elétrica não é a única maneira de reduzir as emissões de carbono de carros esportivos potentes. A direção da Ferrari considera o desenvolvimento de novos tipos de combustível como uma alternativa a ele, que permitirá o funcionamento de potentes motores de combustão interna com o mínimo de danos ao meio ambiente.

Nos últimos anos, a gama de carros da Ferrari foi ampliada para nove modelos que podem ser equipados com motores de combustão interna de seis, oito ou doze cilindros, além de motorizações híbridas. Em meados da década, um carro esportivo elétrico também aparecerá, e a produção do primeiro crossover da marca, o Ferrari Purosangue, começará este ano, que dividirá a plataforma com mais dois modelos no futuro. O primeiro crossover usará um trem de força híbrido, mas seus sucessores se tornarão puramente elétricos. Supõe-se que estes veículos utilizarão quatro motores elétricos com uma potência total de 620 cv, e uma bateria de tração de 80 kWh será capaz de reabastecer rapidamente a carga, compensando assim os indicadores de capacidade não mais destacados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.