Fundada em 2014, a Faraday Future pretendia começar a produzir veículos elétricos já em 2018, mas após repetidos adiamentos até junho deste ano, estava confiante de que poderia iniciar a produção em massa de crossovers FF 91 até julho e, para isso, não requer fundos adicionais. Na realidade, a data de lançamento será mais uma vez adiada e outros US$ 325 milhões precisarão ser arrecadados para organizar a produção.

Fonte da imagem: Faraday Future

Em fevereiro deste ano, a Faraday Future anunciou que havia iniciado a produção de veículos elétricos pré-série FF 91. O carro oferece características impressionantes, como a presença de três motores elétricos com uma potência combinada de 1050 cv. e a capacidade de trocar 100 km/h em 2,39 segundos. A bateria fabricada pela LG Energy Solution deve fornecer uma autonomia de até 480 km, e sistemas avançados de assistência ao motorista poderão inclusive determinar seu estado emocional para selecionar o acompanhamento musical da viagem.

No mês passado, a direção da Faraday Future disse que a empresa tem recursos suficientes para iniciar a produção da versão serial do FF 91, mas no segundo semestre ainda terá que atrair investimentos adicionais para produção em escala. No final de 2023, a empresa esperava produzir de 6 a 8 mil veículos elétricos.

Em um pedido recente apresentado aos reguladores dos EUA, Faraday Future informa que o início da produção em massa de veículos elétricos FF 91 terá que ser transferido para o terceiro ou quarto trimestre deste ano, e a empresa terá que levantar outros US$ 325 milhões para organizar O conflito com o fundador da Faraday agrava a posição da jovem montadora Future, que insiste em mudar a composição do conselho de administração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.