A Volvo oferecerá baterias para veículos elétricos até 2025 para estender o alcance para 1000 km

A Volvo Cars compartilhou seus planos para o futuro esta semana, e o principal anúncio é sua intenção de manter apenas veículos elétricos na faixa de produção até 2030. Até meados da década, produzirá 600 mil veículos elétricos por ano, além de oferecer baterias com autonomia de até 1000 km e carregamento em alta velocidade.

Fonte da imagem: Volvo Cars, The Verge

Ao longo do caminho, segundo o The Verge, foi apresentado o conceito Recharge, que será uma fonte de inspiração para os designers da Volvo nos próximos anos. Você pode julgar a presença de um interior minimalista e layout da cabine, inicialmente implicando o uso de motores elétricos como fonte de tração. Por razões de segurança, as portas giratórias em carros de produção Volvo não estão prontas para uso, então esse refinamento permanecerá na consciência dos projetistas.

A partir de 2026, uma empresa europeia, construída em cooperação com a Northvolt, começará a produzir baterias. Eles não só carregarão mais rápido, mas também fornecerão aos veículos elétricos da marca sueca uma reserva de marcha de até 1000 km. A capacidade do empreendimento será suficiente para equipar até 500 mil veículos elétricos com baterias por ano.

Em geral, a cooperação com a empresa-mãe Geely, embora se mantenha ao nível do intercâmbio de soluções técnicas e plataformas, permitirá à marca sueca manter alguma independência e distância. A Volvo pretende receber recursos adicionais para se transformar em montadora de carros elétricos por meio de oferta pública, que ocorrerá até o final deste ano.

Источник изображения: Volvo Cars, The Verge

Fonte da imagem: Volvo Cars, The Verge

O carro-chefe do crossover elétrico da Volvo, o XC90, será lançado no próximo ano e compartilhará a plataforma com modelos futuros. Já se sabe que mesmo na configuração básica será equipado com um lidar – um sensor óptico que pode detectar obstáculos a uma distância razoável, mesmo em condições de visibilidade limitada.

A Volvo vai desenvolver sua própria plataforma de software, que se chamará VolvoCars.OS. Na verdade, ele vai unir todos os sistemas operacionais díspares que são usados ​​atualmente pelas máquinas da marca: Android, QNX, Linux e AUTOSTAR. No futuro, a plataforma pode mudar para o código aberto e a próxima geração de veículos elétricos Volvo será capaz de viajar automaticamente em estradas suburbanas sem a intervenção do motorista.

A plataforma de hardware para o piloto automático da Volvo será baseada nos processadores NVIDIA Tegra. Haverá pelo menos dois deles para cada carro, cada um desempenhará suas próprias funções, mas com o tempo, a montadora quer transferir todos os poderes para um único processador altamente integrado. Na Europa, a Volvo pretende abandonar os serviços da concessionária, iniciando a venda direta de carros, mas a legislação dos EUA proíbe uma medida semelhante até agora. Até 2030, a marca abandonará a produção de automóveis de passageiros com motores de combustão interna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *