A investigação do piloto automático Tesla afeta sistemas de assistência ao motorista de terceiros

A Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário (NHTSA) do Departamento de Transporte dos Estados Unidos (NHTSA) pediu a 12 fabricantes de automóveis dados sobre os sistemas de assistência ao motorista que usam em seus veículos. Esta informação foi solicitada pelo departamento como parte da investigação de vários acidentes rodoviários, nos quais participaram veículos elétricos Tesla com piloto automático ativado e veículos de emergência.

Imagem: The Verge

De acordo com fontes online, NHTSA enviou pedidos de certos dados sobre os sistemas de assistência ao motorista em uso para uma série de grandes fabricantes de automóveis, incluindo Ford, General Motors, Toyota e Volkswagen. De acordo com os dados disponíveis, o departamento está interessado nos detalhes do funcionamento do piloto automático de segundo nível, que, se acionado, ganha controle sobre o sistema de direção e frenagem, podendo também acelerar em determinadas circunstâncias.

As montadoras são solicitadas a fornecer dados sobre o número de veículos com piloto automático de Nível 2 feitos nos Estados Unidos, a distância total percorrida por tais veículos, bem como uma lista de mudanças e atualizações recentes feitas no sistema de assistência ao motorista. A NHTSA também está interessada em reclamações de clientes, relatórios de falhas operacionais e litígios relacionados a veículos equipados com piloto automático Nível II.

A fonte observa que a NHTSA enviou uma solicitação às montadoras apenas duas semanas depois que a agência pediu dados semelhantes à Tesla. A investigação da agência sobre o Tesla pode sair pela culatra para a empresa, que expandiu seus limites no lançamento de software experimental para clientes não treinados para promover sua visão de direção autônoma.

A investigação da NHTSA cobre aproximadamente 760.000 veículos elétricos Tesla que foram produzidos entre 2014 e 2021. Especialistas da agência estão estudando 12 acidentes em que proprietários de Tesla, enquanto usavam o piloto automático, colidiram com ambulâncias estacionadas, resultando em 1 pessoa morta e 17 feridas. A maioria desses incidentes ocorreu no escuro, quando o sistema de assistência ao motorista ignorou os sinais de alerta nas ambulâncias, incluindo luzes e flashes.

A Tesla deve responder ao pedido da NHTSA até 22 de outubro, as montadoras americanas até 3 de novembro e as empresas estrangeiras até 17 de novembro, de acordo com relatórios. Em caso de recusa em fornecer informações, as montadoras podem enfrentar multas de até R $ 115 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *